É hora de descontos no mundo Nintendo!

Você quer comprar um Wii U, mas estava achando o console um pouco caro demais? Sua desculpa acaba de ser morta e enterrada. Pouco mais de um mês antes do lançamento de seus concorrentes (XBOX One – 22/10/2013 – PS4 15/10/2013), no dia 20 de Setembro, a Nintendo vai lançar o preço da versão DELUXE do Wii U em US$ 299,99 – 50 dólares a menos que o preço inicial.

E o mesmo preço da edição especial que vem com Wind Waker… então corra pegar a edição especial agora!!!!

468px-Zelda-Wind-Waker-610x342

Mas caso você queira também alguns games de Wii, seja porque não os jogou ou porque quer completar sua coleção, a Nintendo está baixando o preço em 3 clássicos: Super Mario Galaxy 2, New Super Mario Wii e Wii Sports Resort. Todos os três super títulos power vendidos e colossalmente bons vão para US$ 29,99 (eles eram 49,99) a partir de 10 de Setembro.

E todos eles funcionam no Wii U!!! O que você está esperando? Pegue os três, seu Wii U e seja MUITO feliz!

Jogando: Flashback Remake

Flashback foi lançado originalmente em 1993, primeiramente no PC e Amiga, e depois ganhando versões para essencialmente todos os consoles da época, com especial atenção para as versões melhoradas que rodavam no 3DO e no Amiga CD 32. Contava a história de Conrad, um membro da GBI (Galaxy Bureau of Investigation – Bureau de Investigação Galático) , que descobre um ataque alienígenas doppleganger (que copiavam seres humanos) e tem sua memória apagada – mas não sem antes ter deixado cópias dela, se avisando do perigo e, finalmente, neutralizando a ameaça.

O jogo era muito bom e extremamente inovador, utilizando cenários formados por gráficos vetoriais, cinescópia para captação de movimentos e movimentos realistas, com um personagem que tinha peso, sofria danos de forma realista e precisava levar física e inércia em consideração para se mover – com um estilo de jogabilidade que lembrava muito dois outros jogos da mesma produtora, a época, Out of this World e Heart of the Alien.

Recentemente, na onda de remakes que tentam trocar dinheiro por nostalgia (uma troca que eu acho extremamente interessante), um remake de Flashback foi demonstrado, com um trailer extremamente interessante e toda a tecnologia que somente a Unreal 3 pode lhe dar, mas mantendo a jogabilidade do clássico jogo de 1993.

E isso, depois de jogar o game, leva a pergunta: E aí? Continua tão bom quanto o original?

Sim, o jogo é tão bom quanto o original. Só que não é melhor que o original – é só tão bom quanto.

Ao começar pelos gráficos. Se os gráficos do game anterior eram realmente muito bons, coisa fina para 1993/1994, os gráficos da versão Uber Remake HD com fritas e churros é apenas passável – blasé, sem sal nem açúcar, moderado. Não são ruins e cumprem seu papel muito bem, mas outros jogos, mais antigos, utilizando do motor gráfico da Unreal 3, já mostraram resultados bem melhores no 360/PC (como Shadow Complex) do que as texturas lavadas e animação esquisita de Flashback HD. Some a isso que a maior parte da história é contada em cenas estáticas, ou semi estáticas, como uma história em quadrinhos preta e branca e que os personagens com os quais você tem contato contam apenas com uma imagem na tela, ao estilo dos RPGs de Saturn/Sega CD e você vai ter uma sensação de que OU faltou dinheiro nessa produção OU faltou tempo para entregar um produto um pouco melhor.

A parte sonora é boa, mas não vai deixar saudades – nem de perto tão boa quanto a do game original, que contém músicas que eu ainda carrego em mp3 no celular para ouvir a caminho do trabalho. Algumas músicas do original sobrevivem em versões rearranjadas mas a Ubisoft parece ter preferido ir na direção de material novo para o game… com resultados menos do que estelares. Os efeitos sonoros foram drasticamente melhorados e funcionam muito bem e o estéreo foi tão bem feito (o game suporta Dolby e 5.1) que dá para se ecolocalizar durante o game (sabendo se um inimigo está vindo de um lado e não de outro).

A jogabilidade continua aqui e continua excelente, mas foi facilitada para a nova geração – e acreditem, isso só tornou o jogo ainda mais legal. Você vai ter que lidar com uma física ainda mais realista e movimentação limitada a de um “humano normal” (humano normal de filmes de ação e fc… mas um humano normal), vai ter que se acostumar com o fato de que não pode simplesmente sair atirando em tudo e que os inimigos são bem mais fortes e muito mais numerosos; sem falar em um nível de dificuldade meio alto para o universo dos jogadores criados a base de saúde regenerativa e personagens que podem cair 30 metros sem se machucar. Mas o controle funciona tão bem que, depois de poucos minutos de jogo, você já vai ter se acostumado com toda a movimentação “humana” de Conrad e vai estar fazendo saltos, rolando para evitar dano e pensando, dentro do universo do jogo, como usar uma pedra para atrair a atenção de uma câmera e passar enquanto ela olha para o outro lado – sendo que os puzzles, agora em menor número e mais fáceis, continuam sendo o miolo do game, que, por fora, parece um game de ação e ficção científica.

Mesmo com frases e aparência num estilo meio “EMO anti herói mamãe não gostava de mim e por isso virei polícia” e uma voz que lembra, vagamente, o dono de uma mercearia entediado, e não um policial que descobriu uma conspiração interplanetária que pega o melhor de Vingador do Futuro e soma com o melhor de Invasores de Corpos,  o remake é um jogo que, se não inspirado, parece ter sido feito com tanto amor e tanto respeito pelo game original, que se tornou um título bom por si mesmo. Altamente recomendado, tanto para fãs do original como para quem nunca colocou a mão em Flashback até hoje.

Bom divertimento

1374085578-flashback