Jogando: Super Smash Bros Brawl

Bem vindos, ao primeiro Review da história do Mini castle. E antes de eu começar deixe-me contar-lhes uma pequena historinha: Eu, e os outros membros do Mini pensamos muito profundamente antes de esticar os Reviews, de somente para games do VC para abarcar também jogos do Wii e do DS. A razão é que simplesmente não temos tempo para revisar todos os jogos que aparecem, e francamente, muitos deles nem merecem ser lembrados, quanto mais revisados. Então prometemos nos manter dentro dos mega jogos, e revisá-los para vocês. Vamos começar com Smash!

Sim! Sim! Sim! Você deve comprar Super Smash Bros Brawl, você deve deixar de lado sua cópia de Mario Galaxy e você deve transferir todo o seu dinheiro para mim. Brawl é O MELHOR JOGO DO WII ATÉ AGORA!!! Tão bom, que merece abrir nossa galeria de Reviews. Mas para falar de Brawl temos que falar um pouquinho de Melle primeiro. Melle foi o best seller do GameCube, vendendo um atach ratio de 2,7 X 1 – o que quer dizer que a cada 2 humanos e um anão que tinham um gamecube, um deles tinha Super Smash Bros Melee. O jogo era bom assim. Montanhas de personagens selecionaveis, dezenas de cenários, várias modalidades de jogo, gráficos muito funcionais, som animal e controle perfeito. Se tivessemos Reviews no Mini naquela época (nem existiámos) teriamos tornado esse jogo nosso mascote.

Brawl pega tudo de bom de Melee. É lindo! Não, você ainda não conseguiu pegar a idéia, e nenhum vídeo vai passa-la para você, mas esse é um dos jogos mais bonitos que já vi no Wii, rivalizando com Galaxy e o glorioso (topo da minha lista de visual) Metroid Corruption. Vê-lo rodando (e judiando do leitor do Wii) é fantástico. O controle responde como uma brisa, com personagens rápidos e leves se movendo sob controle (o que era um enorme problema em Melee)  e o Force Feedback (Rumble) te mostrando como os personagens pesados são… bem… pesados – nem posso por em palavras o quanto eu e Mahou recomendamos o uso do controle de Cube para jogar. É glorioso.

O som é impecável, o melhor que já vi na minha vida, englobando obras primas da Nintendo modernizadas e ORQUESTRADAS EM PADRÃO DIGITAL. Você quase consegue sentir o peso das cordas no cenário de Hyrule, ou a guitarra e a batera comendo no cenário de Mushroom Kingdom. É bom assim!!! Sem falar que o jogo possui um sound test (saudades de Shinobi III – que eu tenho no Virtual Console só por isso!) em que você pode escutar TODAS as músicas que já destravou. Sim, destravou. Porque Brawl oferece uma infindável quantidade de itens a serem destravados, indo de música, a vídeos em CG (lindos, por sinal), passando pelos troféus (em alta resolução e textura fantásticas) e os stickers (que além de servirem para encher livros de figuras, também garantem upgrades a personagens nos modos de jogo), finalizando em personagens: Dos queridos da Nintendo, a figuras famosas da indústria como Snake (Metal Gear Solid) e Sonic (se não sabe quem é, sai daqui agora).

Somado a tudo isso o jogo possui modo história, COM HISTÓRIA, unindo todos os personagens Nintendo em aventura apelidada de “Subspace Emissary”, diversos modos online de game e modos de multiplayer que suportam até 16 jogadores. O modo online é fantástico, quando funciona, provendo lutas rápidas e emocionantes contra amigos (é só trocar o Friend Code) ou desconhecidos (clique na opção EVERYONE). Infelizmente Lags e falha de conexão tem complicado a vida dos fãs. Que atire a primeira pedra quem ainda não teve uma. O sistema anti pirataria também decepcionou muitos donos do aparelho, que preferiram um meio mais “rápido e economico” de conseguir os jogos do Wii.

Os únicos pontos negativos em nossa opinião foram: A remoção do quadro de congratulações que aparecia no final de cada Match (Impervious, Minute Man, Invencible, e por aí vai), o enorme tempo de carregamento na primeira partida (que pode alcançar 12 cronometrados segundos para carregar o cenário do Metal Gear) e o aumento da tecnicidade do jogo, com a importância dos itens severamente diminuída. Mas isso são apenas detalhes, que nada podem fazer com o Brilho dessa obra prima. Nós compramos, e você deveria fazer o mesmo.

supersmashbrosbrawl1083.jpg

Sistemas de proteção assustam usuários!!!!

Por diversas vezes o Mini comentou sobre a existência de sistemas de destravamento e flash disks que poderiam ser usados para consumir produtos piratas no Wii e no DS. Embora tenhamos sempre sido firmemente contra o uso desses aparatos, diariamente somos assediado (eu que o diga, já que estou fazendo um TCC sobre o mercado de videogame no Brasil) em diversos tipos de lojas, com esses mesmos produtos. Bom, parece que a Big N cansou de brincar.

Tanto Super Smash Bros Brawl, quanto Crystal Chronicles (o primeiro jogo a ser disponibilizado no Wii Ware) em travas em check, significando que os mesmo tem um plano estrutural do Wii gravado entre seus dados. Antes do jogo ser carregado, essas “provas” são lidas, e se existir alguma diferenças entre os esquemas técnicos apresentados e os do videogame em sua totalidade, o jogo simplesmente permite ser jogado por alguns minutos antes de exibir a mensagem “Thanks for playing” (acreditamos que o tempo que o sistema leva para se checar).

Até agora nenhum sistema destravado, por qualquer método, se mostrou imune a proteção, mas considerando a quantidade de “assistência técnica” e “pesquisa e desenvolvimento” que o multimilionário mercado da pirataria investe, não devem ser medidas eternas. Ainda assim é uma demonstração de quão preocupada a Nintendo se encontra e um reforço no que sempre estamos dizendo. NÃO USE PRODUTOS PIRATAS!!!