Não haverá redução de preço no Wii U!

Se você está esperando uma redução de preço do Wii U, dentro dos próximos 3 anos, para comprar o seu, melhor repensar essa posição. “O Wii está em um preço correto. Ele oferece os melhores custos-benefícios atuais e terá uma vasta gama de clássicos para operar. E a marca Nintendo. O consumidor tem muito valor agregado ali.” disse o presidente da Nintendo do Japão, senhor Satoru Iwata.

O que o senhor Satoru Iwata não disse, no entanto, é que o Wii U é o primeiro aparelho que a Nintendo vende subsidiado, a custos menores do que os de fabricação. Assim sendo, é bem provável que você REALMENTE não veja um corte de preços tão já do novíssimos console da Nintendo!

581626_389398647794681_1032914819_n

Anúncios

Os Pokemons invadiram seu iPhone, iPad e iQualquercoisa….

Na forma da sensacional Pokemon TV – um novo App para o iOS. O App é gratuito e permite que os usuários assistam a 50 episódios da série animada toda semana, com os episódios sendo constantemente trocados, advindos de diversos períodos das mais de 15 temporadas do Anime (que agora já tem mais de 700 episódios). Em um futuro próximo a Nintendo disponibilizará também os filmes do seriado, eventos especiais e trailers.

Parece que não vai ser o iPhone que vai conquistar o 3DS. Vai ser ao contrário…

PokemonTV_icon_1024

Compre um 3DS e um jogo e leve mais um de graça!

Sim! Por mais incrível que seja essa promoção, se você comprar, entre 21 de Março e 30 de Abril, um Nintendo 3DS e Luigi´s Mansion: Dark Moon ou Pokemon Mistery Dungeon: Gates to Infinity, você ganha da Nintendo um destes 5 jogos:

giveaway2

 

 

Para conseguir isso, tudo que você precisa é registrar o aparelho e o jogo comprado na Nintendo Club. Você recebe um código de download e pode escolher qualquer um destes jogos e downloadar no seu 3DS. Fantástico, simples e prático!

E o Vita, ó?!

giveaway1

Jogando: Aliens: Colonial Marines

A crítica profissional tem sido imensamente dura com Aliens: Colonial Marines, o novo jogo da softhouse GearBox, responsável por joias como Borderlands (e seu imensamente viciante sistema de jogo diablo-on-fps) e lixos como Duke Nuken Forever (embora nem toda a culpa seja deles, nesse caso): O jogo foi chamado de antiquado, bugado, feio e feito as pressas. Uma parte dessas afirmações é verdade, mas esse não é um jogo ruim.

E o problema para isso começa lá no material fonte.

Aliens, ou Alien: O Resgate, como é conhecido no Brasil, é um filme fantástico entregue ao mundo em 1986 pelas mãos do fantástico James “Olha mãe eu fiz Avatar” Cameron. É uma das mais competentes e bem feitas obras de ficção científica de todos os tempos e a continuação de um dos filmes mais badalados pela comunidade Sci Fi, o sacro-santo Alien, de Ridley Scott. O filme é tão incrível e conhecido que suas frases, equipamentos, sons e atmosfera, além de conceitos de aplicação de terror psicológico e escassez de recursos, foram utilizados e reutilizados ao longo de anos, em centenas de formas, ao longo de dezenas de mídias. Sim, mesmo que você nunca tenha assistido Aliens, se você jogou Halo (principalmente o primeiro), Resident Evil ou algum filme onde um grupo de civis + soldados tem que se virar para sobreviver a um monstro, e gostou, agradeça a essa mega sucesso da década de 80.

E esse é parte do problema. O material fonte, que a Gearbox teve acesso livremente e utilizou de maneira magistral, é TÃO bom, que ele pede por níveis quase impossíveis de qualidade. Você já viu Aliens, já viu centenas de pessoas melhorando cenas de Aliens, então voltar a ter simplesmente… Aliens, sem o efeito nostalgia, é uma retomada meio dura.

E esse é o principal ponto deste jogo: Você gosta de Aliens? Lembra de algumas das frases? Se lembra dos principais trechos do filme? Lembra o primeiro nome do Ricks? Ou do Androide?  Então você, assim como eu, vai gostar desse jogo. Agora, se a resposta a essas perguntas for não, infelizmente você não terá um tempo tão bom com Aliens: Colonial Marines. Porque, essencialmente, esse é uma continuação de Aliens que tem 6 a 7 horas de duração e acontece de estar em um formato interativo.

Tudo no jogo é voltado para te contar essa história… e é uma boa história. Não é excelente. Não é a história que vai mudar sua percepção da franquia. Mas é uma história interessante e bem ambientada em um universo relativamente charmoso. E se for uma história que você quer o jogo vai lhe divertir. O duro é que, como dizem, o problema são os outros… os outros itens que compõe o jogo!

E esses problemas começam nos gráficos. No PC os gráficos tem quebras feias em vários pontos, usam texturas lavadas ou mais antigas em outras e tem muitos slowdowns. No Xbox 360/Ps3 a situação fica ainda pior – a velocidade cai para baixo dos 30 frames toda vez que tem mais de 4 ou 5 inimigos na tela, as texturas demoram para carregar (um tempo bem longo) e a animação dos personagens é quebrada e estranha. Você verá pedaços de inimigos e colegas atravessando paredes, descobrirá que não consegue terminar determinados trechos devido a inimigos ou itens que não surgiram completamente ou surgiram dentro de objetos, etc… E se a parte gráfica é uma bagunça, a inteligência artificial vai acabar com uma boa parte da sua diversão – os Xenos se comportam como esquilos, saltando em frente aos seus tiros sem se preocuparem com usar o ambiente (como faziam nos filmes) ou em criar estratégias.E se os Xenos, que são animais, se comportam assim, os membros da equipe de segurança da Weiland Yutani conseguem ser ainda piores – em vez de se comportarem como soldados de elite altamente treinados, eles se comportam como micos de circo vestindo Kevlar. Um deles fez uma pirueta, a la Neo e Trinity, saindo da cobertura, atirando com uma das mãos, enquanto outro, portanto um lança chamas, continuou caminhando na minha direção enquanto era, literalmente, cortado por fogo da minha Smart Gun. Quem a Weiland contrata? Suicidas?

alien-queen-1920x1080

Some a isso vários glitches, como portas que não abrem, encontros que não carregam (deixando você andando a esmo no mapa) e problemas graves de detecção de colisão,  um sistema de armas advindo diretamente de 1990, com seu personagem carregando consigo um carrinho de mão de armas (como na época de Doom e Duke Nuken 3D) e você começa a perceber que a Gearbox, aparentemente, não teve tempo para terminar o game. Graças aos céus o som é magistral e capta maravilhosamente a atmosfera proposta… mas mesmo assim, ficamos no 3X2. E essa é uma condição bem complicada para um jogo que custa R$ 180,00.

Em suma, Aliens: Colonial Marines, vale uma locação. Se você for muito fã da franquia Alien, e muito, muito, muito mesmo, fã do segundo filme, talvez valha uma compra. Mas, de resto, é um jogo cinemático com uma boa história que, infelizmente, não entrega nem metade do que prometeu com Trailers e entrevistas.

Como diziam o Hudson “Game Over Man, Game Over…”

Um novo Donkey Kong vindo na sua direção em 3D

O 3DS vai ganhar um novo Donkey Kong. Pouca informação foi revelada pela Nintendo sobre o jogo, mais sabe-se que será feito pela Retro (de Donkey Kong Country Returns e Metroid Prime) e que será uma homenagem aos primeiros games da franquia. Apenas duas imagens foram liberadas do game até o momento… mas é o suficiente para nos deixar salivando por muito mais.

3dsdk3dscrn03-copyjpg-47fa7b 3dsdk3dscrn01-copyjpg-e1ffad

Todo que você queria saber sobre o PS4 mas tinha medo de perguntar!

Sim! A Sony fez a apresentação do PS4 para o mundo ontem, em um evento gigantesco, com tradução simultânea para sei lá quantos milhões de países (inclusive o Brasil). Mais caiu do que ficou no ar… mas fez. E falou uma pancada de coisas! E não mostrou o console. Mas vamos por partes!

Aliás… se você quiser uma versão resumida da apresentação da Sony (em inglês)

Eu rio disso cada vez que aperto o botão!

Economizando nos nomes vamos as partes apresentadas pela Sony em uma ordem que faça um pouco mais de sentido.

O projeto Orbis está terminando e com ele nascerá o Playstation 4. O PS4 ainda não tem preço definitivo, mas a Sony confirma que permanecerá competitiva (e o Niken, jornal japonês especializado em finanças, aposta em um preço de US$ 400,00), e será lançado, no Japão e nos EUA, no final de 2013.

Sim… o PS4 saí esse ano. Parabéns aos donos de PS3 que pagaram US$ 600,00 por um aparelho no lançamento (em 2006  –  2013-2006 = 7 anos) sob a promessa “Um videogame que vai durar 10 anos!”

A arquitetura do PS4 é a de um PC X86 com 3 núcleos e uma placa gráfica APU, de altíssima desempenho, suplementada por 4GB de memória GDDR 5. A memória principal é de 8 GB e o sistema usa HD para criar memória virtual conforme necessário. O console em si não foi mostrado, então não podemos dizer se usa alguma mídia física, mas tudo leva a entender que os jogos usarão Blu Rays. A mudança dos fornecedores das placas, assim como da arquitetura delas, no entanto, mostra que o PS4 não será retro compatível por hardware, um fato que a Sony já confirmou, mas que, através do fornecedor Gaikai, uma espécie de Steam asiática, você poderá comprar jogos de PS1, PS2 e PS3 (sim… vc terá que recomprar seus jogos de PS3 – eles não funcionaram no seu PS4). A Sony confirma que os jogos presentes na sua conta da PSN serão migrados para o PS4 “dentro de condições negociais futuramente acordadas”.

Ou seja, você vai ter que pagar por games que já tem. De novo!

cut time

O aparelho terá um chip secundário apenas para lidar com downloads e uploads, fazendo com que jogos possam ser downloadados em paralelo e utilizados por streaming enquanto o download é feito (assim como no Wii U – que original!). Além disso o novo sistema da Sony não terá mais como foco os jogos em 3D (como ela havia tentando com o PS3) e, embora o aparelho possa rodar vídeo em 4 mil linhas de resolução, esse também não será o foco; o foco será o social. Literalmente. A PSN está sendo totalmente reformulada para oferecer um espaço para os jogadores se encontrarem (parecido como Wii U Plazza/Wii U Wara Wara), um espaço para experiências serem trocadas (como o Wii U Miiverse) e uma conectividade total com o FB para publicar dados e troféus (como a Live e a Nintendo Network – tá chovendo ideias novas aqui!). Além disso o controle possui um botão “Share” que permitirá paralisar o jogo (em single player… ainda não sabemos como vai funcionar no multiplayer) e escolher qualquer ponto dos últimos 15 minutos (que vão sendo gravados em looping no sistema) para enviar para o youtube, gerar uma foto e compartilhar ou, simplesmente, atazanar seus amigos (nossa, eu já vi isso em algum lugar… espera aí… espera aí… foi no Wii U. É uma das funcionalidades do console. E sem botão de share!).

trophies-activities

Algum usuário da Live se lembra de algo semelhante? Que a gente usa a anos?

Aliás… falando em botão de Share, vamos falar de controles. O PS4 é compatível com o Move mas NÃO É, e segundo a Sony não será, compatível com o Dualshock 3. Então, quer jogar com mais de um jogador, corra comprar controles novos. O novo Dualshock 4 é mais pesado que seu antecessor, maior e um pouco mais roliço, como mostrado nas fotos abaixo. Além do botão “Share”, já citado pela Sony, o controle possui todos os componentes do Dualshock 3, com algumas mudanças: Os direcionais são maiores e agora são côncavos, invés de convexos (como no Xbox 360) e os dois gatilhos inferiores voltaram a posição da época do PS2 (Muito muito melhor Sony!). Além disso o controle tem um led luminoso na parte de cima, que será usado justamente para operações semelhantes as do Move e uma pequena área sensível ao toque, no meio dele, semelhante em qualidade a superfície traseira do PS Vita, que será utilizada dentro de jogos e aplicativos; a área é multi touch e capacitativa

controle

Com relação a conexão PS4 – PS Vita a Sony afirma que TODOS os jogos de PS4 estarão preparados para a conexão, podendo ser jogados integralmente no seu PS Vita, em qualquer comodo da sua casa (aonde foi que eu vi isso?). Além disso o espaço social da PSN poderá ser acessado de smartphones ou computadores (assim como a Live é hoje) e jogos podem ser escolhidos para download (que serão inciados automaticamente na PSN), ou amigos contatados, deste espaço.

Controller_spelling-copy

Então, deixa eu fazer um resumo final. O PS4 será o aparelho mais poderoso da “próxima” geração (PS1 – sucesso de vendas, hardware mais fraco que o Nintendo 64 e o Saturn / PS2 – sucesso de vendas, hardware mais fraco que o GameCube e que o XBOX / PSP – fracasso de venda, hardware mais forte que o do GBA e do DS / PS3 – demorou muito para esquentar as vendas, hardware fodasticamente mais poderoso que o Xbox 360 e o Wii / PS Vita – uber fracasso de vendas, insanamente mais poderoso que o 3DS – SOU SÓ EU OU TODO MUNDO ESTÁ VENDO UM PADRÃO AQUI?!), voltado para o usuário “top”, com recursos como rodar filmes em 4 mil linhas de resolução (o que exige TVs especiais que custam algo em torno de R$ 14 mil) e que terá os mesmos recursos sociais do Wii U, um controle com uma superfície sensível ao toque, capacidade de jogar seus games por streaming em um outro sistema (como no Wii U) e um sistema online semelhante a Xbox Live.  Oh, meu Deus… e o mitólogico Sony Xbox U!!!!

Eu entendo o que a máquina da Sony promete, e tem gosto de Naftalina. São as mesmas promessas do PS3, as mesmas promessas do PS Vita – “Fazer o que as outras empresas fazem, melhor do que elas!”. Parabéns Sony, entendemos seu conceito. Mas você não entregou essa experiência no PS3 (uma powerhouse de processamento que ninguém usou direito), nem no Vita (que nem jogos não tem, coitado). Por que seria diferente agora? Mostra vídeos de jogos demo….

… como esse não convencem mais ninguém.

Mostre a que veio Sony PS4 Orbis. Ou saia da Arena!