Metroid Dread Ressucitado?

No final de 2005 IGN.com e 1UP. com noticiaram uma lista interna da Nintendo com jogos a serem lançados no ano seguinte, alguns em estágio avançados de produção. Todos os jogos na lista, incluindo títulos que erão risíveis na época (como Super Princess Peach). Todos esses jogos forão ou estão para ser lançados. Menos um. Um pelo qual eu, e muitos fãs, estamos esperando. Um projeto interno da Nintendo chamado “Metroid Dread”.

Dread seria uma continuação de Metroid Fusion, cronologicamente o último game até agora, e seria um side scroller adventure, usando gráficos 3d em um ambiente 2d, com animações lindas e bem feitas e mais de 10 horas de jogo. Isso era o que diziam as fontes. Mas o jogo não teve fotos (teve muitas e muitas hoax) oficiais e depois de mais de um anos de especulação foi dado como morto pela comunidade. O silêncio da Nintendo sobre o assunto não ajuda em nada.

Mas agora, nas profundezas de Metroid Prime 3 – Corruption, em uma sala isolada, um único computador trás uma mensagem de alento aos fãs desesperados. Ao ser escaneado o computador revela o seguinte:

metroid-dread.jpg

“Experiment status report update: Metroid project ‘Dread’ is nearing the final stages of completion.”

“Relatório de melhoria no status do experimento: Projeto Metroid Dread está perto dos estágios finais de finalização.”

Piada interna? Se for, de quem? Nintendo? Retro? Um programador rebelde? Ou a ponta de um Iceberg de conspiração e morte? Alguns jogadores mais velhos vão lembrar de Banjo Kazzoie, que trazia imagens e zonas dentro do jogo, onde personagens avisavam descaradamente que ele só poderia acessá-las na continuação. Mas por outro lado Perfect Dark trazia tudo para uma continuação e acabou… no limbo. A sorte está lançada… cruzem seus dedos fãs.

Anúncios

VIRTUAL DESTROYER!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Segurem-se em suas cadeiras fãs do Virtual Console, a Rare confirma que mais jogos, além de DK Country, estarão visitando o sistema de download mais legal do planeta; embora nas palavras da produtora inglesa”nenhum está no gatilho agora”.

Se você esteve morando no Tibet ou em Marte, nos explicamos, durante o final da era do SNES e durante o reinado do N64, a Rare, morria de amores pela Nintendo, desenvolvendo, assim como a Retro Studios faz hoje (Metroid Prime), jogos com personagens da Big N, como Donkey Kong, Star Fox e outros. Após o lançamento de Star Fox Adventures no GC, a firma inglesa foi comprada pela M$ (Microsoft) e se tornou um estúdio interno.

Quando o Virtual Console surgiu, a pergunta que não queria calar era: Teremos acesso a clássicos Rare, principalmente os do N64, como Goldeneye 007, Banjo Kazzoie e o MEGA POWER FUCKING TURBO NITRO BUSTER HYPER UBER Perfect Dark? A resposta era nebulosa, pois Perfect Dark ganhara uma versão para XBOX 360 (PD Zero) e Banjo está para estrear no console da M$ em uma versão novinha em folha. Com Goldeneye o negócio fica ainda pior, já que a Rare não é dona da franquia 007 (que pertence a MGM), e não tem mais os direitos sobre a produção de jogos com o Super espião (que pertence a Electronic Arts).

Mas uma luz surgiu no fim do túnel. Jogos da produtora inglesa começaram a sair… para o GBA e o DS. “A Microsoft não participa, em nenhum estágio, do filão de consoles portáteis (handhelds), portanto não se tratava de concorrência ou conflitos de interesses.” disse porta voz da Rare em 2006, quando do lançamento de Diddy Kong Racing para DS. E quanto aos games que saíram no 64? Será que seria conflito de interesses que Donkey Kong 64 chegasse ao VC? “Quanto ao Virtual Console, é, em última estância, a Nintendo quem diz o que será lançado. Além da série DK não há mais nada no gatilho, mas não significa que não poderá mudar no futuro.” – quando perguntados sobre um remake dos Banjos do 64 (Banjo Kazzoie e Banjo Tooie) para DS a Rare respondeu “Sempre há uma chance”. Com a vinda de Viva Pinata DS e novos jogos da Rare para o portátil a caminho, não custa sonhar.

Mas enquanto Rare pensa em jogos, a SNK vem cumprir uma promessa que fez em março deste ano – trazer o Neo Geo para o Virtual Console – “Por algum tempo certas dificuldades técnicas impediram a realização do projeto.” – atestou um engenheiro da SNK – “Agora tudo deve estar em ordem.” – garantiu ele.

O primeiro jogo a atingir o Virtual Console será Fatal Fury (Garu Densetsu), um clássico Brawler dos arcades e um motivo a mais para quebra de controles na geração 16 bits. O clássico alcança o VC  japonês em 11 de setembro, mais ainda não tem data para chegar a america. A SNK confirma que os jogos serão lançados também no ocidente, mas não dá data para isso, além de informar que os próximos jogos serão World Heroes e Magician Lord.

O preço dessa maravilha? Prepare os bolsos amantes dos Arcades, pois cada jogo SNK/Neo Geo saí por 900 Wii Points (US$ 9,00), apenas 100 Wii Points a menos que um jogo de N64. Mas, diante de clássicos como Nam 67 e Fatal Fury, quem ficará ileso?

fatalfury2.pngff80818112d28d760112debb6782008d.jpg