Capcom vai revisitar RESIDENT EVIL 1!!! E nos novos consoles!!!

A Capcom anunciou que está fazendo um remake do remake de Resident Evil. Isso mesmo! Lembram do Remake do primeiro “Resident Evil”, lançado para o GameCube em 2002? Então… ele vai ganhar uma versão HD para Xbox One, PlayStation 4, Xbox 360, PS3 e PCs no início de 2015. O novo jogo será compatível com os formatos 4:3 e 16:9 e rodará em 1080 P.

Até aí nada demais… mas o melhor vem agora….

De acordo com a Capcom, o novo “Resident Evil” terá dois esquemas de controles – um clássico, mais rígido, e um moderno, próximo dos jogos de ação – e uma câmera móvel, diferente do ponto de vista estático dos primeiros jogos da série. O áudio vem em 5.1!

Agora vem a pergunta: Vão refazer o jogo inteiro para podermos mexer a câmera? E vão manter aquela qualidade fantástica gráfica!

Para quem não conhecia a versão do Gamecube

 

Já estamos salivando!!!

Anúncios

O que diabos é isso?

A Sony soltou para o mundo um teaser de meros dez segundos mostrando um novo game que será apresentado na GameCom.

O problema é: Ela desafiou o mundo a tentar descobrir que game é!

Alguém tem alguma ideia? Deixem seus comentários aí embaixo!

O Dôssie EA Acess: O que é? O que faz? Como funciona? Quanto custa?

Na semana passada a Eletronic Arts tomou o mundo meio de assalto quando falou que estaria lançando, do nada, um novo serviço exclusivo para XBOX One: O EA Acess. Segundo a Eletronic Arts o serviço dará acesso a o EA Vault (o cofre da EA) onde você poderá jogar vários jogos e terá acesso a demos especiais de games EA e a adquirir games online com 10% de desconto – tudo isso por 5 dólares por mês ou 30 dólares por ano!

Parece bom? Bom… a menos que você seja um super fã da EA eu vou te provar matematicamente que não é uma ideia assim tão boa. Pelo menos por enquanto.

Mas vamos por partes. Primeiro vamos dissecar o que o EA Acess realmente é: Ele é um serviço por assinatura provido pela EA, que utilizará os servidores do Origin, e que permitirá downloadar games incluídos no EA Vault assim como ter acesso a demos especiais (que a EA está chamando de Early Acess, em tradução direta “Acesso Antecipado”, que nada mais é do que o começo do game com direito a levar seu save para o jogo quando/se ele for baixado completamente)  e que dará 10% de desconto em games EA comprados através do serviço. Por enquanto o EA Vault contém apenas 4 jogos completos: Peggle 2, Fifa 2014, NBA Live 2014 e Battlefield 4.

O primeiro problema aí já surge do fato que você vai estar dependendo dos maravilhosos servidores da EA Origins para prover seu EA Acess, seus downloads e seus Early Acess – o que, como muita gente que comprou Titanfall ou Sim City no PC vai lembrar, não é uma coisa muito boa. O Segundo problema está na quantidade de jogos disponíveis no Vault – apenas 4 e nenhum deles é essencialmente imperdível. O terceiro problema é financeiro – o número de jogos que o consumidor médio efetivamente compra da EA por ano faz com que os 10% de desconto sejam uma falácia publicitária; você teria que comprar pelo menos 13 games EA no ano, pagando 5 doletas por mês, para ficar no zero a zero com o custo de aquisição do EA Acess. Tudo isso sem falar que muitos desses games, principalmente os de esportes ou que tem um profundo elemento online, aparecem sendo vendidos, em mídia física, por uma fração do preço original, meros 6 ou 8 meses depois do lançamento – o que torna os preços, e os 10% de desconto, da EA Acess um argumento meio mudo.

A EA Acess, no entanto, tem dois monstruosos pontos positivos a favor dela: Os jogos são realmente downloadados, e não enviados por streaming, o que significa que sua experiência com o game será a mesma independente da qualidade da sua internet (ainda vai demorar um inferno para baixar em uma internet lenta… mas uma vez baixado) E a EA REALMENTE tem acesso a uma quantidade gigante de jogos bons: Se ela colocar jogos do calibre de Mass Effect, Dead Space ou Dragon Age, principalmente na atual geração que não tem retrocompatibilidade, a disposição dos gamers no EA Vault, você pode ter certeza que o serviço vai explodir.

Então, hoje em dia, como o produto foi anunciado, ele não vale muito a pena: contém apenas 4 jogos no Vault e seus 10% de desconto por título EA digitalmente adquirido só vale a pena se você comprar pelo menos 13 jogos EA por ano (valor necessário para zerar o custo de aquisição a 5 dólares por mês).  Tanto que a Sony preferiu continuar contando com a distribuição de games EA através de seu serviço PS + e apostar na sua própria ferramenta de Streaming (o PS Now) do que dar a opção da utilização do EA Acess no PS4. Do ponto de vista deles, com o que produto oferece agora, faz sentido.

Resta saber se, no futuro, o EA Acess vai se tornar uma espécie de Steam da EA para consoles.

Logo_Electronic_Arts