Fã de Halo? Curioso para saber como será o livro de arte da edição de colecionador de Halo 4? Toma…

Olha ele aqui!

O livro chama Awakening: The Art of Halo 4 (algo como Despertar: A arte de Halo 4) e mostrará muito mais das naves humanas, covenants e das edificações Forerrunners que povoarão o quarto game. Aqueles que não curtem spoilers – CUIDADO!!! O livro estará a venda mais de 20 dias antes do lançamento do jogo, logo Spoilers aparecerão na internet em forma de imagens. Eu curto… tem gente que não…

Caso você não vá comprar a edição de colecionador o livro saíra por US$ 21,99.

Anúncios

Jogando: Final Fantasy Theatrhythm

Eu adoro Elite Beat Agents, amo Taiko no Tatsugen e achei que, fizesse o que fosse fazer, Final Fantasy Theatrhythm (que vou passar a chamar de FFT) não ia conseguir me impressionar. Que bom que eu estava muito errado.

FFT é um excelente jogo. E eu não disse um excelente jogo de ritmo ou um excelente jogo de música. É um excelente jogo – ponto final. Daqueles que divertem mesmo e são tão fantásticos que são difíceis de largar.

Graficamente o jogo não vai fazer você delirar – estes mesmos gráficos podiam ter sido feitos em um GameCube sem problemas. Mas tudo é tão fofinho (com direito aos principais personagens de todos os FF refeitos em um estilo Chibi adorável), as animações tão bem feitas e o estilo gráfico do jogo tem tanta personalidade que você não vai ligar muito para isso. Cenas clássicas de FFs passam na tela enquanto você joga (no modo Events Music Scenes) e foram tiradas das versões japonesas dos games, mesmo na versão americana de FFT, chegando as vezes a se repetir se a música for muito longa, nada que desabone o jogo mas a Square Enix podia ter gasto um pouco mais de carinho nisso. O aspecto sonoro do game, que é necessário em sua jogabilidade, é magistral. Não tenho outra maneira de por isso – a qualidade sonora é fantástica! Músicas orquestradas e efeitos sonoros retirados de quase 25 anos de franquia – é magnífico.

A jogabilidade do game se divide em três modos de jogo: Battle Music Scenes, Field Music Scenes  e Events Music Scenes (meus favoritos). Battle Music é um cruzamento bizarro e imensamente divertido entre o sistema de combate de FF VI e um jogo de ritmo.  Sinais vem na sua direção em até 4 linhas, uma na frente de cada herói ou summon em seu time, você tem que usar a Stilus para tocar ou mover na direção demonstrada na linha, causando danos nos inimigos e utilizando magias e ataques especiais para derrotá-los.  Já as Field Music Scenes são espaços onde um herói, vários heróis ou um Chocobo viajam de uma cidade/dungeon/vila/base espacial/nave caída/etc para outra cidade/dungeon/vila/base espacial/nave caída/etc – Você passa a Stilus como uma batuta, passando ela na tela seguindo uma linha que vai sendo tracejada para você. É bem mais calmo que o Battle Music mas igualmente gostoso.  Mais o filé do game são as Events Music Scenes, onde você revive momentos muito especiais da franquia FF com direito as cenas retiradas dos jogos, com música explodindo e vozes (se elas já existiam, claro!). Você tem que tocar, girar, mover, acompanhar… em suma, fazer o diabo com a Stilus, para conseguir seguir – e o fato de você conhecer as cenas que estão se passando no fundo só aumenta a sensação de emoção do jogo.

O jogo é relativamente curto, mas com diferentes níveis de dificuldades, novas armas e muitos e muitos heróis para melhorar e ver os novos poderes, algo me diz que fãs vão passar muito e muito tempo com ele dentro do 3DS. Em suma é um jogão, daqueles diferentes e raros, que fazem você se sentir muito bem. Se você sabe a diferença entre um Chocobo  e um Moogle (Kupo!) esse jogo é obrigatório; se você não sabe… dê uma chance. Bom divertimento.

6 Anos com você – Os Wallpapers mais lindos da Terra!!!

E para finalizar o mês de aniversário do seu site favorito de videogames de todos os tempos (!)… Alguns Wallpapers do universo Nintendo.