Seu PS3 está com defeito? Dando três bipes? Com uma luz amarela? Prepare-se para ficar puto…

Eis mais uma história de como a Sony acaba com seus clientes…

Anúncios

Gostou de Kingdom of Alamur: Reckoning? Devia ter comprado mais de um então…

As duas empresas envolvidas na produção do RPG Kingdom of Alamur: Reckoning, a Big Huge Games e 38 Studios, estão fechando, despedindo todos os seus funcionários. Em comunicação das empresas fica claro que as demissões não são voluntárias nem disciplinares, mas sim advindas do fato que os custos de criação dos estúdios e do game só seriam cobertas se o game vendesse 3 milhões de unidade até o final do primeiro semestre deste ano – só que o game só vendeu 1,2 milhões de unidades até agora (dados de 24/05/2012) e a distribuidora/patrocinadora, a Eletronic Arts, resolveu puxar a tomada – exigindo a solvência imediata dos custos contratuais acordados.

Não é a primeira vez que a gigante Eletronic Arts literalmente fecha um estúdio dessa forma. Ela fechou a Pandemic (de Star Wars Battlefront e Le Saboteur) e mais 8 estúdios nos últimos 2 anos – quase todos da mesma forma. Quanto a Kingdom of Alamur o último DLC que estava em preparação vai ser terminado por uma equipe interna da EA Austrália e depois disso todos os projetos ligados a marca foram, segundo a EA, “… colocados em um hiato.”.

Nós do Mini desejamos toda a sorte do mundo aos funcionários das empresas fechadas e suas famílias.

Digerindo rumores – O Xbox 360 pode ser banido nos EUA?

OK! Todo mundo deve ter ouvido os rumores na última semana sobre como um juiz nos EUA pediu a paralisação das vendas do XBOX 360, jogos e acessórios. Mas o que realmente está acontecendo? Vamos começar porque a verdade é prá lá de interessante.

No começo de Abril a Microsoft abriu uma ação nos EUA acusando a Motorola (cuja a sócia majoritária atual é a Google) de criar diversos aplicativos para seus celulares e tablets, que utilizam o sistema operacional Google Android, que copiavam funções do celulares Windows 7, como acesso a Xbox live, Xbox live via celular, agenda em comunicação com o Windows 7, entre outras. Nos EUA o caso foi parar na tribuna de comércio (algo como nosso juizado comercial) e foi, em primeira instância, vencido pela Microsoft com a possibilidade uma liminar que exigiria a completa e total paralisação das vendas dos produtos Motorola que infringissem as patentes quebradas da Microsoft.

Ou seja, Bad Motorola Bad… vai pro seu cantinho e para de piratear as coisas…

Só que chumbo trocado não dói! A Motorola entrou no ITC (Internacional Trade Comission – Comissão Internacional de Comércio – um órgão suplementar da ONU que trabalha no sentido de proteger propriedade intelectual e evitar monopólios, oligopólios, etc…) com um pedido de injunção contra a Microsoft por quebrar 5 patentes da Motorola. Algumas em drivers de vídeo e áudio que são utilizados no Kit de desenvolvimento para 360 e no Windows 7; outras no método de comunicação controle/console. É um pouco técnico mas essencialmente muitos e muitos games de 360/programas do Windows 7 utilizam arquivos digitais compilados/comprimidos em formatos criados por drivers da Motorola (driver é um algoritmo que permite criar um arquivo ou lê-lo… de forma muito sumária) enquanto o padrão de rádio utilizado para comunicação entre controle e console pode ter tido origem em patentes da famosa empresa de celulares. A questão é que esses drivers e o padrão de comunicação (chamada porta de comunicação) foram criados em um contrato de código aberto (Open Source) que diz que “Você pode usar livremente para criar o que você quiser desde que não ganhe dinheiro com isso.”.

Ora. Logo a Microsoft está errada, não?! “Peraí que o buraco é mais embaixo”…

Os advogados da Microsoft contra-atacam essa posição dizendo que os drivers de vídeo e áudio foram colocados no pacote de desenvolvimento com uma opção para as produtoras que muitas vezes não os utilizaram ou os utilizaram após modificação tão extensa que em nada lembravam o software original da Motorola – ou seja, a Microsoft incluiu os drivers em kits de desenvolvimento que foram dados, não vendidos, logo não haveria quebra de regulamentação Open Source; quanto aos controles a Microsoft se defende dizendo que embora a tecnologia de comunicação seja semelhante ao padrão da Motorola trata-se de método e padrão comum atual de comunicação entre sistemas e, portanto, não estaria infringindo nenhuma lei – ou seja, todo mundo usa essa porra e eu vou usar também.

Da ITC o pedido desceu para as cortes de cada país. Na Alemanha, no dia 07, um juiz deu ganho de causa em primeira instância para a Motorola e emitiu liminar requisitando a imediata paralisação da venda de produtos e serviços relacionados as marcas Windows 7 e Xbox 360. A equipe jurídica da Microsoft conseguiu paralisar o processo na terra do nazismo com o posicionamento que ambas as empresas são americanas e uma decisão desse tipo deveria ser feita nos EUA e aí submetida ao ITC.

O caso é submetido nos EUA e caí na mão do honorável juiz David P Shawn que, após verificar os fatos, pede o imediato BANIMENTO DOS PRODUTOS RELACIONADOS A MARCA XBOX 360 ASSIM COMO A PARALISAÇÃO IMEDIATA DA VENDA DOS MESMOS. Segundo o honorável (e completamente louco) juiz , falando sobre a Microsoft  “We are pawns in a global, industry-wide business negotiation driven by an attempt to secure commercial advantage. To an outsider looking at it, it has been arbitrary, it has been arrogant and frankly it has been based on hubris,” (Nós estamos sendo usados de peões em um jogo negocial internacional no objetivo de ganhar vantagem comercial. Para alguém que está olhando de fora a atitude parece arbitrária, arrogante e francamente parece ter sido tomada baseada em excesso de confiança.). A empresa americana se defendeu na corte dizendo que o banimento puniria não a Microsoft mas os consumidores, ao que o juiz respondeu “Theirs [Microsoft’s] argument is not persuasive. It has not been alleged or shown that Sony or Nintendo would fail to meet the demand for consumer video gaming consoles in the event that an exclusion order [was] issued.” (O argumento deles não é persuasivo. Não foi mostrado, de nenhuma forma, que Sony ou Nintendo não seriam capazes de atender a demanda dos consumidores no evento de uma ordem de exclusão formalizada.). Aparentemente o meritíssimo não conhece absolutamente nada de videogames e acredita que eles sejam como moedores de café ou máquinas de lavar roupa; que se eu pegar um jogo de Xbox 360 e colocar dentro do meu Playstation 3 ele vai rodar – aonde eles encontram esses palhaços?

De qualquer forma a Microsoft não fará absolutamente nada até a decisão final, que no caso de processos abertos através da ITC deve ser dada pelo gabinete do presidente Obama, fato que só deve ocorrer no começo de junho. A Microsoft informou, em carta aberta a imprensa, que está pronta a negociar com a Motorola nos termos de FRAND (fair, reasonable and non-discriminatory terms – algo como termos justos razoáveis e não discriminatórios : uma método de negociação comum para tecnologia advinda de Open Source que é adquirida para ser modificada por outra empresa. O FRAND prega que o preço deve ser baixo, justo a quantidade de uso e não se pode discriminar o que pode e o que não pode ser feito com a tecnologia.) e que conta com o poder executivo americano para “tomar a decisão correta para uma firma que emprega milhares de funcionários (americanos) e que continua lucrativa mesmo na crise.”.

E aí pessoal? O que vocês acham? Bola fora da Microsoft ou tentativa descarada da Motorola de arranjar dinheiro? Deixem suas opiniões aí embaixo.

Jogando: Sonic 4 Episode 2

Eu gostei de Sonic 4. Não tanto quanto gostei de Sonic Colors e mais do que gostei de Sonic Generations, mas o jogo trazia de volta o sabor da época de Sonic The Hedgehog (o de 1991 do Mega Drive, não aquela abominação de 2006 do 360/PS3). Logo eu pensei que Sonic 4 Episode 2 traria o vibe de Sonic 2 de volta (o melhor Sonic de todos os tempos).

Eu obviamente estava enganado.

Imagem

Sonic 4 Episode 2 não é ruim de nenhuma maneira. É rápido sem ser impossível de jogar e o design inteligente de estágios continua fantástico, mas, com exceção da física horrível do primeiro jogo, nada mais foi feito. É como comer dois cachorros quentes gostosos com muito purê… o primeiro é delicioso mas o segundo é só um cachorro quente com muito purê – não ficou ruim, mas está longe de ser tão gostoso quanto o primeiro.

Graficamente não houve grandes mudanças. O jogo continua colorido, rápido e com uma animação soberba. Tails, a raposinha de duas caudas em seu retorno triunfal, é ainda mais fofinho-cutch-cutch nessa versão com movimentos bem elaborados e diversas reações bem feitas aos fatos que ocorrem com Sonic (perca seus anéis uma segunda vez no mesmo inimigo do mesmo jeito… hilário). O som tem a qualidade Sonic, o que significa melodias rápidas, carregadas de metal e que você vai cantarolar junto depois de poucos minutos.

Imagem

O controle ficou melhor, mais preciso e o salto ficou mais intuitivo (você consegue ter uma noção melhor de velocidade e consegue perceber de antemão se vai conseguir fazer um salto ou não) mas nada tão incrível que tenha que se escrever para a mãe.

Se você tiver Sonic 4 Episode 1 o novo episódio vai liberar Mecha Sonic para jogar as fases do primeiro com ele. As fases do novo episódio lembram um pouco o clima das fases do Sonic 3 e são bem rápidas… mas não tem o brilho das fases de Sonic 2 ou, mesmo, do primeiro episódio.

Se o texto pareceu um pouco medíocre é porque é assim que eu me sinto em relação a esse game. Não é ruim mas não é bom. É só mais um jogo de aventura bem feito mas sem nada que vá realmente chamar sua atenção. Se você for um grande fã de Sonic e precisar realmente jogar novos capítulos vá em frente; para o resto de nós… vale mais a pena esperar um pouco mais.

Imagem

A edição mais épica de todos os tempos – Street Fighter 25th Anniversary explode os limites do que se chama edição de colecionador

Épica

Epicamente Épica

Uber Mega Power Nitro Epicamente Épica com queijo e fritas…

Essa é a única forma que dá para categorizar a super edição de aniversário de 25 anos de Street Fighter 2 que vai estar disponível a partir de 18 de Setembro nos EUA. Dê uma bela olhada nisso…

– A caixa contém Super Street Fighter II Turbo HD Remix, Street Fighter III 3rd Strike Online Edition, Super Street Fighter IV Arcade Edition com todos os DLCs e Street Fighter X Tekken com todos os DLCs.

– Dois discos Blu Ray (sim, são Blu Ray mesmo na versão do 360… vai entender) com dois documentários (um sobre a produção dos games e outro sobre o efeito de Street Fighter no universo de videogame durante essas 2 décadas e meia) mais os filmes em animação Street Fighter IV, Super Street Fighter IV e Street Fighter II mais todos os episódios da série animada de Street Fighter (antes que vocês se animem muito é a série americana de desenhos não a série Street Fighter V que nós brasileiros tanto amamos).

– Uma estatueta de Ryu dando o Shoryuken (não devia ser um Haduken? Shoryuken é mais coisa do Ken, né?)  de 20,32 cm com base com chamas azuis que são iluminadas por Leds.

– 11 Cds de música (não.. eu não escrevi errado não… são 11, onze, CDs) com todas as músicas dos jogos + versões orquestradas + remixes das principais +músicas criadas por fãs e músicos inspiradas por Street Fighter.

– Um Artbook capa dura de 64 páginas com artes da Capcom e da Udon.

– Um certificado de autenticidade, numerado… claro…

– E, para colocar a Cereja no topo do bolo, a faixa preta do Ryu, tamanho adulto, com o bordado dourado de “Fūrinkazan” em kanji!

OBS: Para os não praticantes de Karatê; Fūrinkazan siginifica, literalmente, “Vento, Floresta, Fogo, Montanha” e era um grito de guerra utilizado pelo Daymio Takeda Shinguen, e suas tropas,  durante a era Sengoku como abreviatura de “Mova-se veloz como o vento, fico silencioso como a floresta, ataque com a ferocidade do fogo e seja indestrutível como a montanha”. Muitos dojos de Karatê usam a frase como parte do processo de treinamento, ou, pelo menos, seu conceito.

A edição de colecionador de 25 anos custa US$ 149,99 (o que não é caro considerando o quanto vem dentro) e já está em pré vendas nos principais sites de venda internacionais. E aí? Vai pegar a sua?

Capcom faz uma piada mas ninguém consegue rir….

Sabe aquele Glitch que trava as lutas com o rolento em Street Fighter X Tekken? Não? Leia tudo aqui no site mas parece que a Capcom finalmente se movimentou. Ela colocou em seu site oficial que seus técnicos já estão trabalhando numa correção e que ela deve ficar disponível até a metade de Junho.

Metade de Junho – quase um mês depois do problema aparecer…

Para corrigir algumas linhas de código? Que hackers já estão fazendo a torto e a direito na Internet?

Quer dizer… se eu for um usuário honesto, que comprou o jogo, pagou pelos DLCs (que já estavam no disco) e fui obrigado a fazer a atualização do patch que causou essa porcaria, eu tenho que esperar mais um mês. Mas se eu for um safado que “baixou” o jogo ilegalmente e coloquei no meu 360 destravado eu posso usar um patch lançado por hackers e continuar usando o meu game… com todos os personagens liberados sem ter que pagar um centavo.

Valeu Capcom! Vaca…

Quer mais Master Chief do que o padrão? Vá de edição especial! Halo 4 edição especial…

Por US$ 100,00 (R$ 204,53 na cotação de 22/05/2012 – mas se prepare para pagar por volta de R$ 280 a 350,00 se sair por aqui) você terá uma linda caixa de metal para o game. Dentro da caixa de couro que vai envolver essa caixa menor de metal estarão permissão de download para 9 mapas (que serão lançados na Xbox Live em 3 blocos de 3 mapas ao longo de um ano após o lançamento), acesso prioritário a 6 especializações para Spartans (que vão fazer você ganhar ranks e abrir customizações diferentes e mais rapidamente), o UNSC Infinity  Briefing Packet (algo como Pacote de explicações da Infinity), que inclui novas customizações de armadura, um mapa da nave completa e declarações de como é se tornar e ser a melhor leva de soldados atuais: Os Spartans IV.

Além disso a caixa também contém:

  • Skin exclusiva para a armadura
  • Skin exclusiva para o rifle de assalto
  • Emblema exclusivo para usar no seu personagem
  • Um brinquedo para o Avatar
  • Uma armadura Spartan IV para o Avatar
  • Video documentários explicando os personagens, locais e histórias
  • Halo4: Foward Unto Dawn Special Edition – um video de 90 minutos criado pelo pessoal da Weta Digital (responsáveis por Senhor dos Anéis e pelo vídeo Delivering Hope de Halo: Reach) mostrando toda a história do primeiro contato com o Flood até o final de Halo 3. Com pessoas… não é uma animação. Vai ser lançado na internet em forma episódica.

E aí… é pouco ou quer mais? A Microsoft já confirmou que não haverá edição lendária no lançamento (percebem… no lançamento… pode ser que tenha depois…) e que o jogo terá lançamento simultâneo mundial, com preço brasileiro (da edição simples) em R$ 129,99.

Analógicos de verdade no controle do Wii U? Check…

Fotos dos controles que tem sido distribuídos nos novos kits de desenvolvimento da Nintendo provam que houve diversas modificações no controle protótipo mostrado na E3 de 2011.

O novo controle

O controle da E3 2011

Como da para ver claramente pelas imagens os direcionais deslizantes foram trocados por analógicos padrão, semelhantes aos do GameCube, a posição do + e do – foram modificados e o logo Wii U foi colocado na base do controle.

Segundo os desenvolvedores que tem testado o controle a nova versão é um pouco mais pesada e mais resistente, embora a tela sensível ao toque ainda seja resistiva e não capacitativa, vamos ver se isso muda até o lançamento.

Eu só ficaria mais feliz se tivesse isso…

O cronograma da E3

A Eletronic Entertainment Expo 2012 está batendo na porta, com pouco mais de 10 dias para o início do evento que vai começar no dia 04 e vai até o dia 07 de Junho no Los Angeles Convention Center. O horário é das 10:00 as 18:00 – horário do pacífico.

Anúncios esperados

Microsoft – Vai mostrar muito Halo 4, nos outros anos foi aqui que a Activision colocava os trailers de Cod, então provavelmente vamos ver o novo Call of Duty Black Ops 2 (com um novo motor gráfico), muito sobre o novo Steel Batallion e um monte de jogos novos de Kinect.

Dia 04/06 – 10:00 horário do pacífico / 15:00 aqui

Sony – Nada de PS4 esse ano. A Sony vai mostrar muita coisa de PS Vita na tentativa de recuperar o dinheiro no portátil que está afundando, esperem por coisas pesadas como Killzone, God of War e outros títulos aparecendo em formato de vídeo para o novo pequenino da Sony. O PS3 vai ganhar muita atenção por causa de Last of Us, God of War 4 e a cópia descarada de Super Smash Bros – Playstation All Stars Batlle Royale.

Dia 04/06 – 18:00 horário do pacífico / 23:00 aqui

Nintendo – A Big N vai até tentar falar do 3DS, mas o mundo quer ver o Wii U. Então espere por um começo focando as novidades do 3DS e provavelmente mostrando um novo Super Mario side scrolling. O restante do tempo vai ser sobre o Wii U e sobre que planos a Nintendo tem para dominar o mundo com ele – com direito a apresentação das versões do Wii U lado a lado com outras para comparar.

Dia 05/06 – 10:00 horário do pacífico / 15:00 aqui

Outras empresas confirmadas:

  • Bethesda
  • Capcom U.S.A.
  • Electronic Arts
  • Konami
  • Microsoft
  • Namco Bandai
  • Nintendo of America
  • OnLive
  • Sony Computer Entertainment America
  • Square Enix
  • Take-Two Interactive
  • THQ
  • Ubisoft
  • Activision
  • Sega Sammy

Nós já estamos mais do salivando…

 

Cansados de esperar por uma Resolução da Capcom? Nós também…

A pouco mais de uma semana um patch obrigatório surgiu na Xbox Live e na PSN para o game Street Fighter X Tekken. A idéia original do patch era corrigir problemas de balanço entre os lutadores assim como melhorar rotinas de segurança para evitar o contínuo destravamento dos personagens que serão, ao longo do resto do ano, vendidos como DLC.

Isso é uma vergonha Capcom!

Não satisfeitos com essa posição vergonhosa relativa aos DLCs a Capcom ainda deu uma segunda bola fora. Após a atualização do patch, toda fez que uma faca arremessada pelo personagem Rolento (originário de Final Fight) atinge algum projétil (mesmo projéteis curtos, que vão poucos centímetros além das mãos dos personagens) o jogo trava. No site oficial a empresa diz estar ciente do problema e buscando soluções. Hackers já descobriram o problema e publicaram em diversos fórums sobre programação de games. Trata-se de uma falha na checagem da tabela de “contato”, uma espécie de base de dados que diz se um haduken ganha de um sonic boom ou se os dois desaparecem – o jogo detecta a colisão do projétil de Rolento (a faca) com o projétil arremessado pelo segundo lutador, mas não consegue localizar na tabela quem vence o embate (se a faca causa dano, só causa um pouco, voa longe, etc…). Segundo esses mesmos hackers a correção é simples e rápida, sendo feita de forma não oficial ao longo dessas semana sem problemas.

O que nos leva a pergunta: Capcom… quando é que você vai se mexer? Não é exatamente colocar o homem na lua, são algumas linhas de código? E o que mais vai dar erro em Street Fighter X Tekken (que deveria se intitular Capcom VS Programação básica)?