Os criadores de games estão mentindo para você!

E nós vamos provar… porque uma imagem vale mais que mil palavras;

Eu cometerei suícidio se Resident Evil 4 sair em alguma outra plataforma;

Frase de Shinji Mikami, semanas antes da Capcom decidir que iá lançar Resident Evil 4 no PS2 no final de 2005

Nós só usamos violência quando achamos que faz sentindo com a proposta do game;

Cliff Bleszinski, diretor de Gears of War, antes de ficar famoso… Putz!

Os primeiros cinco milhões (de pessoas/clientes/gamers) vão comprar o PS3 com ou sem a existência de bons jogos;

David Reeves, então diretor de marketing da Sony na época do lançamento do videogame menos vendido da atual geração

Consumidores não querem jogar online

Para não dizerem que não criticamos em casa também, Satoru Iwata, presidente da Nintendo, falando, na época do Game Cube, uma besteira imensa… e perdendo centenas de consumidores para a Xbox Live.

Gameplay tão incrível que vai parecer um sonho lúcido

Peter Moore, o homem promessa dos videogames, sobre a “atual” (na época era a próxima) geração de videogames, seus games e gráficos;

Você sabem, as coisas quebram

Peter Moore, logo que o Xbox 360 tinha sido lançado e ninguém sabia quantos 3RL nos teríamos

Você poderá se comunicar com uma Cybercidade

O então presidente da Sony, Ken Kutaragi, sobre o Playstation Home, antes do lançamento do PS3. Uma pena que a desgraça continua no Beta… quase 4 anos depois do lançamento.

Os jogadores de RPG são jogadores deprimidos que gostam de sentar sozinhos em suas salas escuras e jogar games lentos

Hiroshi Yamauchi, o mito que foi presidente da Nintendo por quase 70 anos, sobre os gamers que gostavam de RPGs na época do Nes.

Anúncios

Exibição do Mario

Recentemente o site http://www.4colorebellion.com, criou uma competição onde diversos artistas da Net iriam criar (ou enviar versões suas já criadas) do velho e bom Super Mario… e o resultado foi o máximo:



Sunsoft vai matar mais partes da infância de alguns!

Você lembra do Aero? Aquele morceguinho circence que pulava… (silêncio)… e também tinha uns trampolins e camas elásticas…. (bocejo)… é… não lembra não né? Pois é. Mas a Sunsoft, a produtora que trouxe o esquecível Blaster Master para o WiiWare, vai sacrificar mais de suas franquias ao grande deus do dinheiro e trazê-los ao virtual console.

A versão de Super NES de  Aero the Acrobat vai sair por 800 Nintendo points, seguida da versão de NES de  Ufouria: The Saga p or 600 Nintendo Points e prato é finalizado com a versão do Super NES de Aero the Acrobat 2, que também vai chegar ao Virtual Console por 800 Nintendo Points.

Nossa… realmente mudou minha vida!

Zelda vai atrasar…. nossa…. que surpresa….

Nós sabiámos e você também sabia…. nos só não queriámos acreditar. Mas agora é oficial. Nós, fãs, vamos ter que esperar um pouquinho mais antes de colocar nossas mãos ávidas em The Legend of Zelda: Skyward Sword. Segundo a Nintendo Power amerciana, o produtor da série Sr. Eiji Aonuma disse que a empresa vai segurar um poquinho mais a nova aventura de Link, para melhorar uma coisinha aqui e outra ali, mas que o game estará saindo “Early 2011 – that is what we’re aiming for.”  (Começo de 2011 – É nisso que estamos mirando).

É claro que há algo que Aonuma não está nos dizendo. O ano fiscal da Nintendo acaba em 31 de Março… 31 de Março… onde foi que eu já ouvi essa data… ah, é mesmo. É a data máxima que Reggie Fill Aimes, presidente da Big N americana, disse que todo mundo já estaria com seus 3DS. Então talvez a Nintendo tenha um Zelda pronto, mas não vai precisar dele para dar um boost no ano fiscal dela por causa do lançamento do 3DS. Se você fosse um administrador de empresas e tivesse duas cartas na manga, você não usaria as duas ao mesmo tempo, você usaria uma e depois a outra, de forma a perdurar o efeito delas no mercado.

Considerando que até o final do ano nos teremos Metroid: Other M, Kirby´s Epic Yarn e  Donkey Kong Country Returns, acredito que só veremos a luz de um novo Zelda por volta de Abril a Junho de 2011.

Mas tudo bem… nós já sabiamos que iá atrasar mesmo!

The Last History pode ser o último game de Sakagushi?

Hinoboro Sakagushi, criador de Final Fantasy e diretor de Chronno Trigger, saiu da Square a cerca de 4 anos, desiludido com os rumos da empresa, para abrir sua própria empresa, a Mystwalker. Desde então ele produziu e dirigiu “Blue Dragon” e “Lost Odissye”, ambos para XBOX 360.

Agora, no remo do maior projeto que sua empresa já fez em todos os tempos, prometendo recriar o sentimento de desejo das pessoas pelos RPGs, em um game exclusivo para Wii, Sakagushi acredita que possa estar trabalhando em seu título derradeiro.

“The development staff and I are putting 120% of our energy into this title.” (A equipe de desenvolvimento e eu estamos colocando 120% de nossa energia no título) e “I’m pouring everything into this one title. The feeling of it perhaps being my last title is strong.” (Estou colocando tudo nesse título. A sensação de que talvez seja meu último título é forte).

Metáfora, sugestão ou verdade? Estaria Sakagushi se despedindo de nós, fãs. Ou seria como o Sr. Hideo Kojima, que após cada Metal Gear Solid declara que aquele será seu último trabalho com a franquia? Só nos resta esperar, e torcer, para que “The Last Story”, não seja, literalmente, a última história de Sakagushi.


Gamers não crescem….

… mas os brinquedos ficam mais legais a cada dia. É o caso dessa miniatura da Samus, em plástico de alta densidade atóxico, flexível e deliciosamente detalhado. Produzido pela Dimension Diver, a Samus em Gravity Suit custa US$ 120,00 e vem acompanhada da pupa metroid que ela conquista no final do Metroid 2.

A armadura é baseada na versão de Super Metroid. Encomendas na Amazon, caras!

Jogando: Mega Man Zero Collection

4 jogos de Gba pelo preço de um game de DS. Parece bom? E se eu te disser que são quatro JOGÕES de DS, com ótimos gráficos, dificuldade altíssima, controle perfeito e viciantes. Parece ainda melhor? Então corra a uma loja e agarre Mega Man Zero Collection, a mais nova coletânea da Capcom.

Os games trazem Zero, sim o Zero, aquele amigo do Mega Man, meio viado, cabelos loiros longos ao vento, Katana Laser mega power boiolica na mão… ele mesmo… em uma história que se passa séculos depois do fim de Megaman X8. A história é longa (se espalhando pelos quatro games… sem ter um final muito “final” quando o quarto acaba) e esmagadoramente rocambolesca, mas é engolível, com boa vontade e uma quantidade cavalar de água você conseguirá seguir Zero pelo seus duelos contra o vilão Copy X e seus asseclas.

Os gráficos, como os de qualquer coletânea, sofrem modificações. Não houve nenhum tipo de alteração da Capcom para se aproveitar da ligeira melhoria de resolução da tela do DS em relação a do Gba, mas a um sensível avanço na qualidade gráfica entre o primeiro e o quarto jogo, principalmente no que se refere a animação, fluidez e quantidade de objetos na tela ao mesmo tempo. Nada excepcional, que necessite de lágrimas e quartas emocionadas para uma mãe, mas dão conta tranquilos do recado… fazendo uma comparação gastronômica, os gráficos de Mega Man Zero Collection são como um bolo de fubá, não é exatamente aquele doce requintado (Dead Space Extraction ou Mario Galaxy 2) mas tem gosto de nostalgia (Mega Man X2)

O som é animal, com músicas muito bem feitas e samplers bem construídos. Os efeitos sonoros são… bem… efeitos sonoros. Alguns “huns” de dor, alguns “pil” de tirinhos, mas fora os chefes efeitos sonoros são bem blasés. O controle, como em todos os Megaman, são um esmero da Capcom, com um extremo e enorme cuidado de deixar o controle no talo. A dificuldade, o ponto alto do game para alguns (sim… Mahou… estamos falando de você), é absurda, realmente debilitante e enlouquecedora, mas a coletânea vem com um easy mode que permite que você a jogue sem ter que se preocupar com os Cyber elfs….

Eu não falei dos Cyber Elfs… bem… é porque eles são um SACO. A ideia, meio pokamonesca, de ter que ficar pegando serzinhos, criando eles e lá vai cacetada, para conseguir novos poderes é chata e meio patética em um game como Megaman. O fato de que no Easy mode você começa com todos e não tem que lidar com eles melhora muito a qualidade dos games.

No mais é uma ótima coletânea, que está saindo em preço premium nos EUA (games que saem mais baratos) o que deve fazer ela chegar aqui abaixo dos R$ 99,00. Se achar agarre… e não irá se arrepender.

Sega pensando em lançar Saturn a download!

Saturn a download soa como pizza a delivery… mas ninguém sabe se vai ser assim saboroso. A ex-competidora da Nintendo, agora incapaz-de-acertar-a-formula-de-Sonic-de-novo softhouse disse a imprensa especializada que está pensando em colocar os jogos do Saturn disponíveis nos serviços de download, apenas semanas depois de confirmar que Sonic Adventure e Crazy Taxi irão chegar aos serviços de download do PS3 e Xbox 360.

Eu não esperaria sentado se fosse vocês… decisões da Sega em relação aos serviços e jogos de seus consoles anteriores levam anos…

Mas quem não quer uma chance de jogar Dragon Force, Radiant Silver Gun e Shinning Force 3 em seu Wii?

Já estamos salivando!

Miyamoto Sama tem um novo personagem a caminho!

O mais importante designer da Nintendo é um cara meio estranho… embora tenha um milhão de hobbies aparentemente chatos, como jardinagem, natação e cuidar de cães (ele tem um canil na casa dele e cria Akitas), mas quando ele usa esses hobbies em seus processos criativos ele chega em Pikmin, Wii Sports (e Wii Sports Resort) e Nintendogs – eu não conseguiria… e não ria, porque você também não.

Mas agora, depois de passar um tempo entre crianças de escolas de primeiro grau no Japão ensinando educação moral e cívica (?), grande Miya (olha a intimidade!) falou a imprensa que está na hora de trazer uma nova franquia a existência: “Acho que vou entregar algo novo no começo do ano que vem” ele disse “Ainda estou extremamente ativo no processo de desenvolvimento do 3DS, mas fazem quase 10 anos desde Pikmin e eu acho que finalmente vou criar uma nova franquia”

Eu não sei quanto a vocês, mas isso me faz pensar em como será o novo personagem e a nova franquia. E entre Pikmin 3, uma nova franquia, um novo Mario Kart e Nintendogs + Cats, esse parece ser o ano de Miyamoto!

Lei Japonesa força a Nintendo a dizer quanto os “bã bã bãs” ganham!

Uma lei, muita estranha diga-se de passagem, entrou em vigor no Japão em 31 de março deste ano, que obriga às companhias locais a revelarem os salários dos funcionários que recebem mais de 100 milhões de ienes (US$ 1,1 milhão) por ano, isso mesmo, “os caras, os doto, os cabeça”. Segundo Shizuka Kamei, o responsável por essa lei mais do que bizarra “As companhias devem sua existência à sociedade. As pessoas que ganham muito deve estar orgulhosas de si mesmas e do trabalho que fazem.”

E por isso nós agora sabemos o quanto os executivos da Big N ganham, entre elas, Shigeru Miyamoto, o papai de Mario e Zelda, que no passado chegou a ficar famoso por afirmar que “A Nintendo apenas me paga um salário. Então, por que vocês em seu artigo não pedem para cada um que gostou de meus jogos depositarem 10 centavos em minha conta!” e que hoje já faz parte do grupo que ganha mais de 1,1 milhões de doláres ao ano. E já que estamos colocando tudo as claras, porque não falar de Satoru Iwata, presidente da Nintendo, que recebeu 187 milhões de ienes (US$ 2,09 milhões) no ano passado. A base salarial de Iwata é de 68 milhões (US$ 760 mil) – bem acima da média de um executivo no Japão. O restante, Iwata recebeu na forma de bônus pela performance da companhia. Não custa lembrar que Hiroshi Yamauchi, ex-presidente da Nintendo, é atualmente um dos homens mais ricos do país.

Curioso sobre outros ricaços do mundo dos games:

. Howard Stringer (Sony) – 410 milhões de ienes (US$ 4,6 milhões)
. Hajime Satomi (Sega Sammy) – 400 milhões de ienes (US$ 4,5 milhões)
. Yôichi Wada (Square Enix) – 204 milhões de ienes (US$ 2,3 milhões)
. Satoru Iwata (Nintendo) – 187 milhões de ienes (US$ 2,09 milhões)
. Kazunori Ueno (Namco Bandai) – 100 milhões de ienes (US$ 1,12 milhão)