Jogando: Quantum Break (XBOX One)

Eu terminei Quantum Break duas vezes antes de fazer esse review. E não me atrevo a começar uma terceira vez por medo de não conseguir largar o controle a tempo de pegar Uncharted 4.

Sim… é bom assim!

Da forma mais básica que dá para encarar Quantum Break é um shooter de cobertura. Você vai de cobertura em cobertura atirando em inimigos. Mas é aí que acaba a normalidade do jogo e ele recebe o mágico toque de sua produtora, a Remedy, do também incrível e maravilhoso Alan Wake (leia nosso review dele clicando aqui).

Alan Wake é simplesmente incrível e está disponível na Live e na retrocompatibilidade: JOGUE!!!

Os gráficos são soberbos e não dê ouvidos a ninguém falando coisas como “Ah! Mais eles rodam só em 720P!” ou “O jogo usa dynamic range e fica horrível de longe” – o jogo é lindo! Lindo! Roda em 720P, 30 fps, travados e funciona com MSAA 4X (quatro níveis de anti-alysing) e uma quantidade tão imensa de efeitos de partícula e de oclusão e dilusão de ambientes que você não vai notar, de jeito nenhum, a resolução mais baixa. A menos que você esteja jogando numa TV de umas 150 polegadas… resolução não será um problema para curtir esse jogo.

Lindão!

E nem controle! Os controles são excelentes e respondem no talo! Junte a isso uma jogabilidade simples porém viciante que une poderes temporais, esferas de energia, super velocidade e algumas outras surpresas com um competente sistema de tiro e você terá diversão como resultado. Acredite em mim, paralizar um cara no tempo, encher a bolha de tempo dele de balas, e esperar o tempo voltar ao normal para vê-lo ser feito em pedaços é incrível. Assim como é teleportar e soltar um soco!

A música é sobretudo ambiental. É bem feita e cria um clima perfeito para cada um dos trechos que o jogo deseja, mas é bem provável que você não saia assoviando nenhuma delas depois de terminar o game (ou mesmo se lembre delas depois de um tempo). Efeitos sonoros são um desbunde e as vozes, todas de atores de excelente calibre que também fazem a minisérie (já explico isso), são maravilhosamente bem escolhidas e excelentes.

E eu falei na minisérie? Sim… além dos 44 Giga do jogo você pode optar por, gratuitamente, baixar um pack de vídeo de 75 Giga com uma mini série completa, que vai sendo montada conforme suas escolhas e alterações no jogo. A minisérie acompanha os acontecimentos do ponto de vista de diversos vilões e heroís dentro e fora da Monark, a gigantesca mega corporação responsável pelos eventos do jogo, com uma qualidade de produção excepcional, igual a uma série de ficção do Netflix ou algo assim. Caso você opte por não downloadar o pack da série, o episódio montado com suas escolas será recebido por streaming, como no Youtube ou netflix, com qualidade travada em 720 P, com ocasionais quedas de resolução e frame rate. A menos que você pretenda jogar o game dezenas de vezes (o que eu provavelmente vou fazer) eu não recomendo o download do pack (até porque ele vai comer uma porção sensível de qualquer HD que você tiver na sua USB ou no seu One) – mas se você for um louco por qualidade o pack oferece 1080p com 30 fps travados.

A Mini série!

Se a minisérie é incrível a história que permeia ela e o jogo é simplesmente fantástica: muitíssimo bem escrita, cheia de reviravoltas e muito humana. Ela começa com uma viagem no tempo dando muito errado e continua a partir daí numa mistura de física temporal, jogos de espiões, mentiras, trapassas e armadilhas que é simplesmente incrível. A Remedy provou com Alan Wake que ela manda muito bem quando se fala de história e Quantum Break está aí para provar que isso é verdade!

quantumbreakjpg-c739ab_1280w

Com controles excelentes, gráficos fantásticos e uma senhora história não há como não recomendar Quantum Break. O jogo é muito muito bom e se você tem um XBOX One (ou um PC MUITO parrudo armado com Windows 10) é uma compra mais do que certa.

Te vejo ontem!

Anúncios

Sobre Marcel Bonatelli

Historiador de games e jogador inveterado eu respondo todas as suas dúvidas sobre games e o mercado de games no site minicastle.org ou no email marcelbonatelli@minicastle.org

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s