O Mini testou a retrocompatibilidade do XBOX One! Eis o que achamos…

Retrocompatibilidade sempre foi um fator de compra importantíssimo para mim.

Desde o PS2.

Sim… eu hoje sei que o Master System já era retrocompatível com seus antecessores e que o mesmo processo permeou os diversos PC Engine, mas, para mim, até o PS2, isso era um universo muito distante. Eu tinha o NES e veio o SNES, e eu tinha que manter um NES por perto para jogar os jogos de NES que porventura eu quisesse (o que incluía Super Mario 3 e os dois Zeldas que eram visitados com uma certa frequência), enquanto que a SEGA oferecia, mais uma vez, uma saída para seus usuários na forma do Power Base Converter, que permitia jogar Master System no seu Mega Drive.

Z0036073

O Power Base Converter – jogando 90% dos games do Master System no seu Mega Drive desde 1989!

O Nintendo 64 veio e a situação se repetiu: Mais uma vez eu tinha que manter um sistema antigo por perto caso quisesse jogar os games do mesmo (não que eu não fosse manter meu SNES comigo… ele ficou comigo até 2006/2007 quando foi doado, com todos os jogos, para um colecionador amigo meu, o senhor Leonardo “Lorde Kao” Kauselium do finado Retro Fantasy). E o Saturn bateu a porta da retrocompatibilidade na boca de quem estava esperando jogar Mega Drive nele.

Em 2000, no entanto, com o lançamento do PS2, tudo que se falava era que o console era capaz de rodar todos os jogos do PS1 – e com melhorias gráficas, como anti aliasing e menos neblina. Ok… isso não era tudo que todo mundo falava; as pessoas falavam como os gráficos dele eram incríveis, como o controle era perfeito e como ele era um sonho. Mas retrocompatibilidade entrava fácil no top 5 de itens que o PS2 fez melhor do que a gente esperava. O primeiro modelo do PS3 rodava PS2 e PS1 (seus modelos posteriores só rodavam nativamente PS1) enquanto que o XBOX 360 tinha uma retrocompatibilidade seletiva que abrangia a maior parte dos seus clássicos. O Wii era retrocompatível com o Game Cube e o Wii U com o Wii… então sem problemas nesse lado. O problema, como dizia o poeta, são os outros.

Tanto o PS4 quanto o XBOX One chegaram ao mercado gritando que retrocompatibilidade era uma coisa do passado, desnecessária e impossível de implementar. Que o público não queria ou precisava disso.

Ahaam?!

Ok… nos entendemos os desafios técnicos Sony/Microsoft. Suas máquinas anteriores trabalhavam com arquiteturas radicalmente diferentes da X86 que vocês estão usando agora e isso tornava a retrocompatibilidade muito complicada. Impossível? Não. Difícil e imensamente custosa? Sem dúvida. Do ponto de vista técnico é muito mais difícil emular/rodar jogos de PS3, visto que os processadores (que já eram por si proprietários e nunca foram usados em mais nada) trabalhavam em um sistema de multicluster guiado por micro code que, provavelmente, vai exigir um trabalho de anos para ser replicado; enquanto que a arquitetura Power PC era mais simples de traduzir do 360 para o One.

Alguém mais acha engraçado que a Microsoft fez um 360 nas arquiteturas dela? Ela começou com X86 no Xbox Clássico, migrou para Power PC no 360 (o que acabou gerando a situação que apenas alguns games podiam ter retrocompatibilidade, visto que Patchs eram necessários para fazer o Power PC entender o X86) e migrou de volta para o X86 no One. Escolha de uma vez MS!!!

E, trabalhando em cima do que fez para trazer jogos de XBOX Clássico para o 360, a Microsoft anunciou na E3 2015 que seu aparelho teria retrocompatibilidade por software com milhares de jogos e que a “habilidade” ficaria disponível imediatamente para os usuários testes, sendo liberada para o público no final de 2015. Depois de uma meia dúzia de emails com pessoas gentis da Microsoft, eu consegui, a uma semana, mais ou menos, ser colocado na lista de testes e receber o download da “habilidade”.

Após um Patch razoavelmente longo e dois resets do One eu fui levado para uma tela cinza que dizia “Getting your XBOX 360 info…” (Coletando seu histórico no XBOX 360 – numa tradução menos literal). Eu jurava que o apocalipse ia chegar antes da barra chegar no fim. Ela eventualmente chegou… pouco mais de uma hora depois. E com o fim dela começou a diversão.

E por diversão entendam mais downloads.

Xbox-One-Updating-Screen-Shot

Cada um dos jogos que já estavam na lista, com mais de 130 nomes no momento, de retrocompatibilidade downloadou um patch no meu HD. E por Patch entenda A PORRA DE UM JOGO INTEIRO. Minha sorte foi que eu não tinha muitos dos games em versão digital e que percebi, passando os olhos na minha lista de “Downloads pendentes” o tamanho do buraco. Você consegue parar ou cancelar o download como faria com qualquer outro app/game do XBOX One, direto na sua tela de controle de download, mas a MS deveria, quem sabe antes de liberar para o grande público, colocar uma perguntinha se eu quero ou não usar a retrocompatibilidade com cada item que eu tenho. Quem tem Halo MC Collection provavelmente não vai jogar Halo 4 ou Halo Anniversary na retrocompatibilidade – just saying…

Ok. Eu tinha uma nova versão do game downloadado no meu HD. Cliquei em Perfect Dark Zero e o jogo funcionou exatamente como ele deveria. EXATAMENTE. Com direito ao Boot atualizado do XBOX 360, e as exatas mesmas opções. Tudo funciona exatamente como era no XBOX 360. Não houve um tropeço ou um slow down. Fiz o teste ainda com Alan Wake e com Halo:Reach, ambos itens digitais que eu já tinha do XBOX 360 – com resultados idênticos. Era como usar o 360, mas com um controle ainda melhor.

Uma excelente razão para a retrocompatibilidade!

Coloquei o disco de Mass Effect 1 no drive e me preparei para algo dar errado. Se eu pareço soar pessimista, me entendam: Minha primeira experiência com o One foi tentar usar Master Chief Collection. Ele é normalmente menos usado em casa do que o Wii (eu tenho um Wii U e dois Gamecubes… meu Wii fica basicamente parado) e eu tenho menos jogos para ele do que eu tenho para o meu Vita (sim… eu tenho mais jogos de Vita que de One). Mas Sheppard me pegou pela mão e disse “Eu não vou deixar você para morrer na lama soldado!”. O logo do 360 surgiu e apagou, seguido da tela cinza de “Getting your XBOX 360 info…” e bang: O item Mass Effect 1 apareceu no meu downloads pendentes. Esperei o download terminar e retirei o disco. Tentei iniciar o jogo mas ele ficou escuro e não selecionável. Coloquei o disco. Um pequeno símbolo de um disco aparece no canto inferior direito do jogo, que voltou a cor normal e se tornou selecionável.

Parabéns Microsoft. Até aqui tudo andando legal!

Apertei para iniciar e ouvi o drive acionar, ler o disco algumas vezes e ficar mudo. Fiquei esperando algo dar errado mas, realmente, tudo que ele faz é checar se o disco no drive é correto e original. O jogo começou normalmente, rodando a partir do game downloadado no meu HD. E era igualzinho ao Mass Effect 1 de XBOX 360. Sem tirar nem por.

Meu Deus como esse jogo é bom!

Uma nota pessoal: Algumas pessoas disseram que diversos games, incluindo Mass Effect, estão rodando na versão de PC nessa “retrocompatibilidade” da Microsoft. Embora eu não possa atestar isso de cada um dos games disponíveis, e a teoria faça um certo sentido, considerando que os games de PC já estariam em arquitetura X86 e facilitariam a vida dos engenheiros da Microsoft, eu tenho Mass Effect no PC, no 360 e no PS3. E, embora a versão unmoded do PC seja porca, essa definitivamente não é a versão do PC. Texturas ainda levam um tempo bom para carregar, objetos distantes são renderizados em texturas imensamente simplistas, árvores e outros itens distantes são montados como formas chapadas, sem geometria. Eu joguei as três versões e está definitivamente não é a do PC. E a do 360.

Aparentemente a nova máquina da Microsoft vai rodar os games sem nenhuma mudança. Como diz o adágio “Sem tirar nem por”. O uso da retrocompatibilidade é simples (a pior parte são os downloads) e a prova de imbecis. E considerando que o custo é zero e você ainda pode pegar discos emprestados do seus amigos, é um diferencial mercadológico bem pesado para o One.

Mas a retrocompatibilidade não é assim tão boa que eu não possa achar nada negativo para falar dela. E de fato eu tenho três grandes reclamações: Você tem que estar online para usar a retrocompatibilidade (afinal o One tem que downloadar o “patch” para “ler” o disco), você tem que estar online para jogar os games antigos (acredito, embora não tenha certeza, que se deva a algum método de DRM) e você tem que salvar na nuvem (num espaço de 560 Mb de nuvem, por usuário, voltado somente a isso). São grandes e irremediáveis, pelo menos a caráter imediato, mas não são sérias o suficiente para impedir 90% dos usuários de se divertirem.

De fato mesmo os problemas não atrapalharam a minha diversão. E o catálogo de jogos que isso deve trazer para o One vai ajudar, grandemente, a 2016 passar melhor para os donos do console da Microsoft. Parabéns MS! Bola dentro!

Eis a lista completa de games disponíveis até o momento…

A Kingdom For Keflings Endwar Killer is Dead Rainbow Six Vegas
A World Of Keflings Fable 2 Madden NFL 16 Soul Calibur IV
Alan Wake Fable 3 Mass Effect Splinter Cell: Blacklist
Alien Hominid HD Fallout 3 Monster High: New Ghoul in School Splinter Cell: Conviction
Assassin’s Creed Brotherhood Far Cry 2 Ms. Pac-Man Splinter Cell: Double Agent
Assassin’s Creed II Far Cry 3 N+ Super Meat Boy
Assassin’s Creed Liberation: HD Far Cry 3: Blood Dragon Need for Speed: Most Wanted Toy Soldiers
Assassins Creed Forza Horizon Ninja Gaiden 3 Toy Soldiers: Cold War
Assassins Creed Revelations Forza Motorsport 2 Pac-Man CEDX Toy Story 3
Banjo-Kazooie Forza Motorsport 3 Perfect Dark Trials Evolution
Banjo-Kazooie: Nuts & Bolts Forza Motorsport 4 Perfect Dark Zero Trials HD
Banjo-Tooie Gears of War Prince of Persia: The Forgotten Sands Viva Piñata
BattleBlock Theater Gears of War 2 Prototype Viva Piñata: Trouble In Paradise
Bayonetta Gears of War 3 Prototype 2 Witcher 2: Assassins of Kings
BioShock Gears of War: Judgement Rainbow Six Vegas Worms 2: Armageddon
BioShock Infinite Geometry Wars Evolved Rainbow Six Vegas 2
Borderlands Ghost Recon Advanced Warfare Rayman Legends
Brothers in Arms: Hell’s Highway Ghost Recon Advanced Warfare 2 Rayman Origins
Call of Juarez Gunslinger Ghost Recon: Future Soldier Risen
Call of Juarez: Bound By Blood Halo 3 Risen 2
Cars Halo 4 Risen 3: Titan Lords
Child of Eden Halo Anniversary Sacred 2: Fallen Angel
Civilization Revolution Halo Wars Sacred 3
Clash of Heroes HD Halo: O.D.S.T Saints Row
Dark Souls Halo: Reach Saints Row The Third
Dark Souls II Hexic HD Shadow Complex
Dead Space I Am Alive Shadowrun
Defense Grid: The Awakening Jetpac Refuelled Shoot Many Robots
Driver: San Francisco Just Cause 2 Small Arms
Dynasty Warriors 8 Kameo: Elements of Power Sonic Adventure 2
Anúncios

Sobre Marcel Bonatelli

Historiador de games e jogador inveterado eu respondo todas as suas dúvidas sobre games e o mercado de games no site minicastle.org ou no email marcelbonatelli@minicastle.org

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s