Minicastle 8 anos – Os 8 símbolos mais importantes do Videogame

O mundo do Videogame desenvolveu uma linguagem só dele ao longo de suas quase 3 décadas de existência – e toda uma simbologia para acompanhar essa linguagem. Sejam personagens, símbolos, ícones, figuras ou marcas, a existência da indústria como ela realmente é hoje depende, e muito, dessas 8 figurinhas aqui!

8 – Atari

Atari-800x600

Para muita gente da minha idade o Atari foi a porta de entrada para um enorme universo de games e diversão como nunca antes havia sido imaginado. Gráficos primitivos e som muito simplório deixavam a maior parte dos itens de cenário por parte de nossa imaginação, mas a sensação de jogar Atari 2600 na casa de um amigo, durante a madruga, durante as férias escolares, com os grilos cantando lá fora, só pode ser descrito de uma forma: Mágico. Seja colocando o mais bem sucedido console da década de 70, seja levando para multidões uma quantidade inimaginável de clássicos, a Atari, como Marca, mais do que fez por merecer seu oitavo lugar nessa lista.

Uma pena que depois ela destruiu tudo isso criando, quase que essencialmente sozinha, o Crash de consoles de 1983/1984.

7 – Pac Man

A gloriosa pastilha amarela, que foi desenhada para parecer com uma pizza faltando um pedaço, tinha que ter um lugar de destaque nessa lista. Não só Pac Man foi um sucesso imenso nos Arcades, onde criou duas continuações muito superiores a eles mesmo (Ms Pac Man, meu favorito, e Pac Man Jr), mas Pac Man foi um dos jogos mais vendidos em TODAS as plataformas em que foi lançado até a metade da década de 80 (e isso inclui o Atari 2600, Atari 5200, Atari 7800 Pro System, Collecovision, NES, Pc Engine, Sharp X 68000, Amiga, Commodore e vários outros computadores japoneses, americanos e europeus) e introduziu milhares de garotas ao hobbie do videogame (e você achando que todo o crédito era da Nintendo e da SEGA).

Pac Man era tão importante que ele teve um disco…

buckner-garcia-promo-poster-(hires-300-dpi)

… inspirou uma quantidade inumana de material publicitário…

pac-mania_zoom_large

… e teve desenhos na TV, participou em filmes (como Detona Ralph) e agora chegou até a Arena!

Parabéns Pac Man! Você merece!!!

6 – Playstation PS

Veja isso…

O primeiro Playstation chegou ao mercado japonês no segundo semestre de 1994 –  o que significa que, no segundo semestre desse ano, o PS1 faz 20 anos! 20 anos! 20! Isso significa que para uma multidão de players entre seus 5 e 25 anos esse pode ter sido a ÚNICA marca de videogames que eles tiveram. Sim… por mais estranho que isso parecer para dinossauros como eu, que tem quase 30 anos jogando videogame, existe uma porrada de gente lá fora que nunca teve um console Nintendo ou SEGA na vida e que dependeu, exclusivamente, da Sony Entertainment para seu entretenimento digital. E que excelente entretenimento ela tem fornecido: Seja roubando exclusivos da Nintendo (a série Final Fantasy, a série Mana, a série Gaia, etc…), seja fornecendo um local para que as mais diversas empresas japonesas e americanas possam entregar o seu melhor, os playstation tem sido senhores consoles um atrás do outro. Infelizmente eu tenho um péssimo histórico com todos eles (principalmente com o PS1) mas isso não diminui quão incríveis eles são!

Seja com os ótimos comerciais…

… ou com os jogos imperdíveis…

… a marca Playstation vem se sustentando no mercado e prova, a todo momento, que está pronta para mais!

A versão final do Playstation

A versão final do Playstation – que muita gente ama!

5 – SEGA

Pouca gente sabe, principalmente as que não leem o Minicastle com frequência, mas a SErvice GAmes, a empresa que originou a SEGA no pós segunda guerra, não era uma empresa japonesa. Não… a Service Games era uma empresa havaiana que se especializou em levar para o Japão Pinballs e outras formas de diversão eletrônica que estavam sendo condenados como jogos de azar em vários estados americanos e vendê-los para os japoneses ávidos por novidades.

E de Pinballs e cabines para fotos, para máquinas de Pachinko e Arcades foi um pulo. Primeiro distribuindo máquinas feitas por outras empresas e depois criando máquinas próprias a SEGA começou a escrever um nome por si bastante poderoso no meio do videogame, lançando clássico após clássico: Out Run, After Burner, Golden Axe, House of the Dead, Virtual On, entre muitos outros.

Mas a maior parte de nós, principalmente no Brasil, teve contato com o mega conglomerado através de sua imensa linha de videogames domésticos, começando com o Master System (no Japão a SEGA já tinha tido dois aparelhos antes do Master System… mas nos EUA e aqui nós não tivemos contato com o SEGA SG 1000 ou SG 2000)…

… passando pelo Mega Drive…

… passando pelo infame Saturn (que tem as melhores propagandas da TERRA – clique aqui) e pelo sensacional Dreamcast (que realmente era um sonho de aparelho para 1999)!

A eterna competição com a Nintendo tornou ambas as empresas melhores e criou um sem número de clássicos dos videogames, muitos que perduram até hoje. E embora hoje a empresa tenha mais de 90% de seu faturamento vindo da divisão de diversão eletrônica japonesa (Pachinkos, Love Parlours e Arcades) a SEGA continua uma empresário multi-bilionária extremamente presente no universo de videogames, com um legado imenso para trás…

E falando de Legado!

4 – Sonic 

O Mega Drive chegou aos EUA em 1989 depois de uma fraquíssima atuação de mercado do Master System – o que não era um surpresa visto que a maior parte das produtoras só produziam games para o Videogame que ressuscitou o mercado entre 83 e 85: O Famicon/NES. Com números não muito animadores em 1989 e 1990 e com o hardware da competição a caminho a SEGA precisava de algo que matasse a pau e mostrasse a cobra.

Ou algo que comesse cobras!

Que tal um porco-espinho? Um super Rápido! E Cheio de atitude (tudo nos anos 90 tinha atitude)! E Azul!

sonic-generations-imagem

Nascia o segundo mais conhecido mascote dos videogames em todos os tempos! Sonic 1 (ou Sonic: The Hedgehog) era, e é, um dos melhores jogos já feitos – era imensamente rápido, maravilhosamente bonito, imensamente bem desenhado e fantasticamente gostoso de jogar. Era um triunfo de design de Yuji Naka e sua equipe (que voltariam a quebrar paradigmas várias outras vezes, com Ristar, Astal, Nights, etc…) e uma demonstração clara da SEGA que, se a Nintendo queria briga, briga ela teria!

Sonic não só ganhou milhares de prêmios e iniciou uma briga com Mario de igual para igual: ele mudou diversas ideias de design, criou uma série de novos conceitos, mudou o estilo gráfico dos jogos da época e criou uma febre de mascotes que só terminaria nos 128 bits. Além disso ele trouxe para o Mega Drive/Genesis, principalmente nos EUA, uma parcela significativa do público feminino, até então cativo da Nintendo, frente aos jogos mais “violentos”, podemos dizer, do 16 bits da SEGA.

Eu nem preciso dizer o quanto Sonic ainda continua importante até os dias de hoje. É claro que ele teve uma enxurrada de jogos ruins, com todos os não 2D que saíram depois de Adventure, mas, aparentemente, a SEGA reaprendeu como se faz Sonic e estamos prontos para mais uma era dourada do porco espinho mais rápido do planeta.

 

 3 – Nintendo

A maior e melhor empresa de videogame do mundo reuni para si diversos marcos na breve história do nosso Hobby. Ela criou o primeiro videogame caseiro realmente famoso no Japão, o Famicon, em 1983. Ressuscitou o mercado americano, quebrado em 83/84 pela Atari, com o NES em 85. Criou ou cultivou os principais gêneros de videogame que permanecem no mercado até hoje. Criou Mario, o imperador do Videogame, Link, Samus, Zelda, Yoshi, Luigi, Bowser, Peach, a galera de F-Zero, de Ice Climbers, de Kid Icarus, entre muitos outros personagens que continuam fazendo um sucesso enorme. Mudou o paradigma do que era controle com o NES (pad digitais e microfone no controle), com o SNES (botões de “ombro”), com o 64 (Direcionais analógicos e gatilhos), com o Gamecube (Gatilhos analógicos), com o Wii (controles por movimento) e com o Wii U (controle com uma tela sensível ao toque). Tudo isso além de criar e dominar o mercado de portáteis, primeiro com a série Game Boy e depois com a família DS, e ser a única empresa na atualidade a produzir, como produto principal, games e consoles.

Seja da fantástica época dos 8 Bits, quando a Nintendo sustentou o mercado de videogames sozinha…

… até a fantástica apresentação da E3 nesse ano…

… essa é a empresa MAIS importante da indústria. E um farol de luz sobre o que o futuro do videogame deve ser, e será!

Parabéns Nintendo! Você merece!

Nintendo_Logo

 

2  – Mario

Assim como falar da SEGA e não falar do Sonic é impossível falar da Nintendo e não falar do imperador do Videogame. Mário é mais conhecido que a cruz (sim… o símbolo da cristandade) na América do Norte e por toda a Asia (segundo o instituto de pesquisa Enterbrain) e, odiado ou amado, é uma das figuras mais associadas a video game em toda história do planeta.

E como não séria? Mario é quase que um sinônimo de qualidade! Sem contar algumas pressepadas como Mario Teach Typing e Mario Teach History (os dois jogos feitos para computadores no início dos Kits Multimídia para ensinar a digitar e ensinar história, respectivamente) a maior parte absoluta dos jogos do encanador italiano e sua turma são simplesmente fantásticos…

… e tem algumas das propagandas mais charmosas de todos os tempos!!!

Seja em RPGs geniais e engraçados, em jogos de plataforma de dificuldade e controles perfeitos ou nos adventures 3D mais bem feitos da história do Videogame o encanador do Bronx Mario Mario continua sendo, e sempre será, sinônimo de videogame.

Mas existe algo… um símbolo… ainda mais importante para o mercado como um todo do que o Imperador Mario.

1 – Space Invaders

Olhe isso…

Space-Invaders1

Olhou bem? Porque esses são os carinhas mais importantes da história do Videogame! Por que? Porque sem eles não haveria o Mario, Link, Samus, Snake, Dante, Mega Man e centenas de outros personagens de videogames. Por uma razão muito simples: O Mega sucesso do Arcade da Namco de 1978 foi o que motivou Shigeru Miyamoto (criador da maior parte das franquias da Nintendo), Keiji Inafune (criador de Mega Man e diversas outras franquias na Capcom), Shinji Mikami (criador de Resident Evil, Devil May Cry e diversas outras franquias na Capcom) e Hideo Kojima (criador de Metal Gear Solid e muitas outras franquias da Konami), sem falar em muitos outros designers, a entrarem para o mercado de videogame. Kojima e Inafune queriam escrever mangás, enquanto Miyamoto queria desenhar e Mikami estava a um passo de ir trabalhar na indústria de novelas.

Foi isso…

space-invaders1

E todo o sucesso que isso fez. Todo o uso maravilhoso de música, imagem, luz e movimento – mesmo com o hardware limitadíssimo da época, que trouxeram esses incríveis criadores para o nosso Hobbie. E sem esses incríveis criadores bufões como Cliff Blezinski ou Phil Harrison, respectivamente criadores de Gears of War e Twistted Metal, jamais teriam se interessado por videogame.

Então, na próxima que for jogar seu Call of Duty ou seu Mario Kart 8, lembre-se de fazer um breve agradecimento a Tomohiro Nishikado (o criador do hardware e do software de Space Invaders) e a esses 3 alienzinhos. Sem eles pode ser que a gente ainda estaria jogando Atari!!!!

————————————————————————————————————————————————

Gostou? Não Gostou? Quer “sentaomio”? Deixe suas opiniões aí embaixo!

 

 

 

 

 

Anúncios

Sobre Marcel Bonatelli

Historiador de games e jogador inveterado eu respondo todas as suas dúvidas sobre games e o mercado de games no site minicastle.org ou no email marcelbonatelli@minicastle.org

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s