Jogando Super Mario World (Super Nintendo) – Live de 11/09/2018

Vamos jogar pela enésima vez esse clássico. Não nós não cansamos de jogar ele! =D

Anúncios

O Virtual Console do Wii U está aberto! Mas o que tem lá?

Muita muita coisa boa! Essa é a lista de lançamento:

  • Balloon Fight (NES)
  • Donkey Kong, Jr. (NES)
  • Excitebike (NES)
  • F-Zero (SNES)
  • Ice Climber (NES)
  • Kirby’s Adventure (NES)
  • Punch-Out!! (NES)
  • Super Mario World (SNES)

PS: Valendo ressaltar que Kirby´s Adventure está na promoção de 30 anos do Famicon e está custando US$ 0,30 – sim… R$ 0,60 por um jogo!

Além disso, se você já tiver algum destes jogos na versão do Wii você pode transferi-lo, gratuitamente, para o seu Wii U, funcionando em um sistema restrito chamado Wii mode (que fica, essencialmente, igual ao Virtual Console do Wii) ou, pagando US$ 1,00 por game do NES e US$ 1,50 por game do SNES, transferi-los para o Wii U com funcionamento total no novo modo de virtual console, onde os games recebem uma senhora repaginada: Pode salvar em qualquer ponto, pode criar multiplos saves, pode capturar imagem da tela e utilizar no Miiverse, recebem filtros gráficos para funcionar em telas HD, funcionam no Game Pad, entre outros “pequenos” benefícios – Eu fiz a transição com Excitebike e Super Mario World (ambos eu já tinha no meu virtual console do Wii) e comprei F-Zero durante a promoção dos 30 anos do Famicon e posso dizer, sem medo, vale muito muito a pena jogar esses games, limpinhos, em uma TV de 40 polegadas.

Jogos de Nintendo 64 e GameBoy Advance serão adicionados nos próximos meses e mais jogos serão lançados a cada semana sendo que a biblioteca integral do Virtual Console do Wii estará disponível até o final do ano. O Virtual Console já é motivo o suficiente para se ter um Wii U.

Bom divertimento!

wii-u-virtual-console-art_1152.0_cinema_640.0

 

Jogando: New Super Mario Bros U

A impressão da minha vida, como gamer, é que sempre houve um Mario e sempre vai haver um Mario. Eu comecei jogando videogame com um Mario, tanto em seu formato Donkey Kong quanto em seu formato Mario Bros (e ambos não tem ABSOLUTAMENTE nada a ver com o reino do cogumelo) e prossegui com ele por anos e anos vindouros. Claro que houve Sonic. Claro que eu fui apresentado a Snake. E já que estamos falando de personagens a quem alguém é apresentado; eu conheci uma certa princesa com um fetiche estranho por se “transvestir” e uma tara por instrumentos musicais mágicos – que eu salvei mais de uma dúzia de vezes já!

Mas… como sempre há um bolseiro morando sob o morro… sempre a um Mario novo vindo em minha direção.

Dito isso fazia alguns anos que eu não ficava chapado com um Mario 2D. Eu ficava animado. Curtia demais. Realmente gostava. Mas aquela sensação incrível que eu tive com Super Mario 3, e que continuou, se espalhando por cada erg do meu ser com Super Mario World, simplesmente não estava lá. Até eu terminar o download do presente de Natal da minha esposa e passar o controle para ela.

Aí eramos duas crianças no Natal de 1991, abrindo nossos super nintendos e começando a jogar Super Mario World pela primeira vez. E foi tão bom!

New Super Mario Bros U é uma conquista técnica que mostra que Gameplay de qualidade não tem idade, que diversão ainda é mais importante que tudo em um game e que a Nintendo não veio para a alta resolução antes porque realmente não havia necessidade. Dos gráficos ao gameplay New Super Mario Bros U destrói virgindades anais, explode cavidades auriculares e remove, indecentemente, a tanga das meninas dos olhos de todo mundo. É a mesma sensação de surpresa, o mesmo “fator UAU” que o Super NES, e seus mega gráficos, gerou quando apresentou um Super Mario com 96 fases ao mundo.

Se você era muito novo, ou por alguma razão não chegou a ter um SNES, eu lembro para você:

Graficamente falando NSMBU é fantástico! A Nintendo havia dito que só faria um videogame com uma saída HD quando realmente visse uma necessidade nisso e, caralho, eles entregaram. Das sombras a iluminação, das texturas a animação, das cores aos efeitos de água, areia e vento – NSMBU dá um banho em Rayman, joga Brayd tão longe que não nem para enxergar ele e mostra como um clássico, com todas as letras maiúsculas tem que ser feito em HD. Isso não é New Super Mario Wii HD! Isso é um novo jogo, feito para um novo console, muito mais potente que os atuais aparelhos. E isso é denotado no gráfico do jogo.

Não custa dizer nada que o som continua com a marca clássica do incrível Koji Kondo – você vai lembrar das músicas assim que elas começarem a tocar, vai cantarolar junto e, se teve uma infância ou adolescência carregada de Mario, vai ter vívidas memórias de uma época mais simples e, talvez, mais gostosa. Principalmente a música da Ghost House (que aqui é um Ghost Ship) me faz lembrar, vividamente, de bolinho de chuva da minha vó –  aqueles que vem cobertos por uma generosa camada de açúcar, canela e amor!

É claro que tudo isso não teria a menor graça se pudesse ser feito em outros consoles. É por isso que eu posso deixar minha esposa assistir um filme na sala enquanto continuo jogando, levando o jogo comigo, sem um mero slow down, na tela sensível ao toque do controle. É como ter um Gameboy HD lindo com bateria recarregável. E o alcance vai até a minha cama (jogando horas antes de ir dormir, com a tv da sala desligada).

O Gameplay continua fiel ao que Shigeru Miyamoto criou, mais de 25 anos atrás. Um botão pula, um botão corre, você pega itens como cogumelos que te deixam grande, cogumelos que te deixam pequeno, flores que te fazem lançar fogo ou gelo das mãos, capas para voar e tudo mais. Só ficou muito, muito mais difícil. Eu achei que a dificuldade voltou ao nível de Super Mario World, o que para mim, que tenho 25 anos de Mario, tá de boa. Mas venho descobrindo que a dificuldade pode ser um empecilho enorme para uma nova geração criada a leite com quick. A Nintendo também percebeu isso e colocou o Super Guide nesse jogo.

Mas o que diabos é o Super Guide? Que bom que você perguntou voz imaginária que vou ter que relatar para o meu terapeuta: O Super Guide é um botão gigante, que surge em qualquer estágio, depois de você já ter perdido 4 ou mais vidas. Batendo a cabeça do Mario nele o game pergunta se você quer deixar o Luigi jogar aquele level para você (O Super Guide só aparece jogando em single player). Se você disser que não o jogo prossegue normalmente. Se disser que sim, Mario é substituído por Luigi e você assiste o computador jogando pelo level – qualquer toque no direcional ou nos botões cancela o Super Guide e retorna o controle para você, logo o Super Guide pode ser usado só para passar por aquele buraco frustrante que te tomou 12 vidas e, em seguida, você continua seu jogo, normalmente. Se, no entanto, você deixar que Luigi termine um estágio para você, o jogo marca que você terminou o estágio com auxílio do Super Guide (que não pega as moedas gigantes, nem as moedas vermelhas, nem nenhum segredo) e não deixa você publicar nada no MiiVerse relacionado com aquele estágio. É uma maneira estranha de ajudar jogadores em problemas e eu, por alguma razão, ainda acho que o “You suck Tanooki Suit” teria sido melhor.

(Nota rápida: Em Super Mario 3D Land, ao invés do Super Guide você tinha uma roupa de Tanooki branca, que tinha mais tempo de vôo e era invencível a tudo menos buracos e lava, que era liberada após perder 5 vidas. Eu a batizei de “You suck Tanooki Suit”, ou, em bom português, Roupa de Tanooki você joga mal para caralho).

Haters gonna hate e Pìssers gonna piss mas Mario continua fenomenal e mágico, 25 anos depois e em gloriosa alta resolução. E continua unindo famílias: 3 minutos com o GamePad na mão e um amigo meu e seu filho, de 6 anos, já estavam jogando juntos. Sim, ainda é o mesmo encanador bigodudo de barriga saliente que salta sobre tartarugas! Sim, ainda é a mesma princesa que faz bolos e vai jogar baseball com seu constante nêmesis!  Mas é um mundo tão incrível, e tão gostoso de jogar, que não deve, nem pode, ser mudado.

Vem “ni” mim Mario… e que venham mais 25 anos!

Quer um mapa do novo Mushroom Kingdom? Que tal um interativo?

O pessoal do site IGN criou um, com dicas para cada um dos estágios de The New Super Mario World (versão Japonesa)/ The New Super Mario U (versão americana – diabos Nintendo! “… Mario World” é bem mais legal que “… Mario qualquer outra coisa”). Entre as dicas estão as localizações das chaves, das vidas extras e as outras saídas de fase, sem falar no acesso ao mundo estrela (sim, fãs de Super Mario World, tem um mundo estrela aqui).

http://www.ign.com/maps/new-super-mario-bros-u/world

Bom divertimento a todos (Meu Wii U ainda não chegou… sniff sniff!!!)

Wii U – Algumas considerações sobre espaço

A meses nós já sabemos que o Wii U virá em duas versões: a simples, com 8 Gb de memória interna, e a deluxe, com 32 Gb. O que nós não sabíamos era quanto iria realmente sobrar depois do sistema operacional do sistema e da atualização de primeiro dia do videogame.

Agora nós sabemos… e a resposta não é assim tão legal!

A questão é a seguinte, se você comprar um Wii U na versão simples, depois da formatação da memória interna, teria 7.2 Gb de memória livre; 29 Gb na versão Deluxe. Só que o sistema operacional + a atualização de primeiro dia do sistema tomam 4.2 Gb de espaço. Na prática isso significa que, um usuário do Wii U simples que não tivesse nenhum outro meio de expansão de memória conectado ao sistema, teria meros 3Gb de memória livre para downloadar conteúdo ou DLC. Apenas como exemplo considere que Super Mario Bros U (que no Japão vai chamar New Super Mario World!) tem 2,2 Gb e que Nintendo Land tem 3.2 Gb e você perceberá que é uma situação meio complicada.

A solução é o uso de HDs externos. O Wii U é compatível com todos os HDs externos de USB 2.0 (e com uma boa quantidade dos que são USB 3.0 também) e permite utilizar qualquer HD até 2Tb. ISSO É INFORMAÇÃO “PRA MAIS DE METRO”!!! Os HDs não podem ser desconectados enquanto o Wii U é utilizado e devem ser formatados no OS do console, o que impede seu uso em PCs (a menos que você tenha particionado ele ^_^).

E quanto aos cartões SD? Esqueça eles. Eles funcionarão para salvar jogos de Virtual Console (tanto do Wii quanto do Wii U), saves do Wii, Wii Ware e só. Nenhum save de nenhum aplicativo do Wii U poderá fazer uso deles e nenhum jogo por demanda poderá ser downloadado para o SD.

Ou seja, se possível, coloque a mão em uma unidade Deluxe. Vale realmente a pena!