Minicastle – Um lugar para gamers

Aproveitando que a princesa está sempre em outro castelo!

Archive for junho \30\UTC 2011

A Blizzard conseguiu vencer o crack – WOW agora é de graça!!!

Publicado por Marcel Bonatelli em junho 30, 2011

Até você chegar ao nível 20! É isso aí, a droga mais devastadora já criada achou uma nova maneira de trazer usuários. Você não precisa mais jogar em um servidor separado nos seus 10 dias de teste. Você vai jogar World of Warcraft, “pra valer”, de graça, até atingir o nível 20, quando então o game irá travá-lo. Para destravar seu game é só comprar o jogo World of  Warcraft, por US$ 19,99 e levar de graça Burning Cruzade, sua primeira expansão. Se você já joga World of Warcraft e não tem Burning Cruzade, lamentamos por sua vida social e você pode ir imediatamente ao site da Blizzard e downlodar a expansão de graça. Se você quer participar nessa mamata de ir até o level 20 vá até o site http://www.battlenet.com e cadastra-se. E deus tenha piedade de sua alma!

 

Enviado em Alfinetadas, Flashbangs | Leave a Comment »

Batman Arkham City ganha capa oficial!

Publicado por Marcel Bonatelli em junho 30, 2011

Ficou legal, mas acho que falo por todos os homens quando digo que esperávamos a mulher gato naquele modelito dela na capa…

Enviado em Flashbangs, XBOX 360 | Leave a Comment »

Review – The Legend of Zelda: Ocarina of Time 3D

Publicado por Marcel Bonatelli em junho 30, 2011

Eu ganhei “A Lenda de Zelda: Ocarina of Time”, do Nintendo 64, comprado na Americanas, naquela caixa mastodônica que só quem teve o jogo na versão nacional sabe como é. Foi no natal de 1998, depois de ter ficado sem ganhar presente por um aniversário e um natal esperando pelo game (Minha mãe sempre compensava o presente anterior antes de vencer o seguinte… então tecnicamente eu ganhei um presente de aniversário em dezembro). Eu joguei Zelda de forma apaixonada e descabida por dias sem fim e considerei-o o topo do que a franquia podia atingir por anos.

Envelopado naquele biscoito delicioso que chamamos nostalgia, eu comprei o mesmo game não uma, mas três vezes – N64, GameCube Zelda Special e GameCube Zelda Ocarina of Time Master Quest Disk. Eu sei a maior parte das falas de cor, sei todos os segredos, conheço cada um dos bugs, cheats e glitches em ambas as versões do game que tenho (1,00 e 1,20).

Diante disso tudo vocês conseguem entender qual o receio que eu tinha de revisitar a doce Hyrule dos meus 18 anos (estou com 31 agora) e, medo dos medos, descobrir que ela era muito menor e sem brilho do que em minhas memórias. Como uma criança que pega os pais colocando os presentes embaixo da árvore, eu coloquei as mãos em um 3DS com o cartucho dentro, tentando entender o que aquilo significava e onde estava o papai noel naquela estória.

Aí eu fui tocado, não, eu fui atingido, minto, eu fui tragado, pela melodia da abertura e os relinchos da Epona.

Eu tenho 18 anos, espinhas na cara, meu irmão de 12 anos está do meu lado e eu estou segurando o controle do Nintendo 64. A sensação é igual? Não! A sensação é melhor!! Muito melhor!

Aperto A e início o jogo, vejo a historinha reformulada de uma maneira mais límpida e direta. O controle do jovem Link me é entregue. Foi mais ou menos por aí que eu perdi a hora de voltar para o serviço, voltar do almoço e voltar para o mundo.

Os gráficos são incríveis. Mesmo com o 3D ligado os gráficos são limpos, velozes e imersivos – com uma pequena queda no frame-rate quando a tela fica cheia de itens em 3D. No entanto os gráficos não receberam só uma garibada: do estilo de arte as claras inspirações na triologia de senhor dos anéis, o mundo de Ocarina of Time foi reimaginado de uma forma que você consegue ver mais detalhes, entender melhor costumes, enxergar melhor personagens e entender como o poder de Ganondorf distorceu algo que era fundamentalmente bom, vivo e colorido em um ambiente opressor, escuro e sombrio.

E tudo é animado soberbamente. Link ganhou diversos movimentos novos, choques de armas e armaduras receberam faíscas e efeitos de partículas mais sutis e bem feitos. Espelhos funcionam. Poças d’águas refletem Link e as tochas. Do Boglobin mais simples aos chefões mais gráficamente complexos (esperem para ver Phanton Ganondorf e a distorção de imagem que ele faz quando se move ou a chuva de partículas e a distorção por calor causada pela baforada do Big Dodongo) o jogo carrega você sem nunca deixar a peteca cair.

E se você estava esperando por uma qualidade musical semelhante a de Twilight Princess pode esquecer. É muito, muito, muito, muito, MUITO melhor!!! Músicas consagradas receberam uma modernização e assolam seus ouvidos no que pode ser a melhor trilha sonora do ano (sim, dance central e dance central 2… eu estou olhando para vocês enquanto aponto o dedo). Por alguma razão alguns canais de áudio parecem ficar bem mais baixos quando o fone de ouvido é utilizado, logo eu recomendo que o game seja utilizado sem fones de ouvido, de preferência dando a todas as pessoas a sua volta uma carga intensa de uma das melhores trilhas sonoras de todos os tempos.

O controle é preciso, mas não é um show a parte. Controlar o personagem com o Stick é léguas melhor do que o analógico problemático do N64 (que recentralizava torto de vez em quando e, quando o controle ficava velho, acabava por demorar para captar o movimento), mas a ausência de botões principais maiores do que o restante faz com que as vezes você acabe por esbarrar em outro botão na pressa de dar uma espadada. Os itens ficam distribuídos na tela de toque, o que é genial, e podem ser modificados por lá. Além disso o mapa das dungeons fica sempre visível, o que pode não parecer mas facilita imensamente o processo de atravessá-las, principalmente porque ele tem uma espécie de sombra do andar de baixo quando em uma dungeon, o que ajuda a dizer aonde você está caindo (ou nadando). A grande diferença é o uso do giroscópio que permite que você mire e atire seu arco, bumerangue ou estilingue usando um botão e movendo o portátil – infelizmente como o 3D depende do portátil ser segurado a distância fixa dos olhos, normalmente você acaba tendo que desligar ou diminuir o 3D para usar o giroscópio – ainda assim, é animal. E mega preciso. E facilita muito. Aliás… esses dias atrás tentei jogar Wind Waker e tive dificuldades em voltar a mirar usando o direcional depois de anos de Twilight Princess.

A história ainda é a mesma que (quase) todo mundo já conhece. Séculos após a primeira batalha pela triforce, e a criação da espada mestre, o vilão Ganondorf está em busca da triforce para reinar sobre Hyrule. A princesa Zelda (com 10 anos de idade) e o jovem Link (também com 10) se auxiliam na busca de joías que representam a união entre a família real e seus aliados (forjadas no final da batalha séculos atrás). Link junta as joías, abre o porta para a Triforce, mas Ganondorf é quem pega a relíquia sagrada. Como ele não estava em equílibrio a relíquia se parte em três pedaços: Poder (que fica com Ganondorf), Sabedoria (que fica com Zelda) e Coragem (que fica com Link – o pobre é que nem o molequinho que tinha o anel de coração do capitão planeta… uma ganhou premonição e magias o outro lança bolas de fogo, voa e o diabo a quatro e ele só ganhou… colhões). O Sábio do templo do tempo então prende Link por 7 anos no templo do tempo para que ele treine e cresça, se tornando o heroí que Hyrule precisa para definitivamente derrotar Ganondorf (isso foi uma versão MEGA-POWER-ULTRA-UBER-SIMPLISTA DA HISTÓRIA…. tem muito muito mais, mas precisa jogar para ver). Mas agora a história é contada de forma mais límpida, com mais detalhes e menos “será que…”. Vários mistérios, no entanto, permanecem (Como quem era a mãe de Malon? ) enquanto outros desaparecem (O menino que fugiu de Kakariko é o Lost Boy que você encontra na floresta e é o futuro dono da Majora – preste atenção na conversa das fadas dele.)  ou nem são citados (A tradução do sábio coruja foi corrigida e agora fala que ele é um sábio utilizando aquela forma, revelado mais para frente como o sábio do templo do tempo).

Se você estava esperando um jogo que o fizesse comprar um 3DS, aqui está ele. Isso é duplamente válido se você ainda não jogou Ocarina of Time. Se você é como eu e tem jogado diversos games de DS enquanto esperava por algum melhor que Splinter Cell e Street Fighter IV, não precisa esperar mais. A Lenda de Zelda: A Flauta do Tempo (a tradução mais próxima para o português de ゼルダの伝説: 時のオカリナ, Zeruda no Densetsu: Toki no Okarina) é o melhor jogo do 3DS e provavelmente será o melhor jogo para portáteis esse ano. Eu espero ser surpreendido por Kid Icarus ou Star Fox… mas este é o jogo que vai vender 3DSs. Porque…

… todo jogo tem história…

… mas só é uma lenda!

Enviado em Nintendo 3DS, Reviews | 1 Comment »

PS3 vs XBOX 360 vs Wii – É a hora da verdade! Qual dos três é melhor?

Publicado por Marcel Bonatelli em junho 29, 2011

No espírito de abraçarmos a entrada dos produtos Microsoft no mini eu precisava de uma matéria. Uma matéria bombástica, que realmente dissesse “Ei, você precisa ler isso!”. Desde 2007, quando comprei meu 360, as pessoas que sabem que sou um Nintendomaníaco sempre me perguntavam: “E aí, qual deles é melhor?”. A pergunta se tornou ainda mais frequente quando eu, em 2009, para poder falar com propriedade, adquiri um PS3.

Então, nada melhor do que começar uma nova era do site Minicastle.org respondendo a uma pergunta que se torna mais ainda mais vívida agora que os três aparelhos tiveram cortes de preços: Qual é o melhor console dessa geração?

A resposta está lá embaixo e eu prometo que não é 42. Mas me deem dois segundos antes.

Leia o resto deste post »

Enviado em Eventos, História, Microsoft, Nintendo, Nintendo Wii, XBOX 360 | 104 Comments »

Expandindo… Finalmente!

Publicado por Marcel Bonatelli em junho 28, 2011

Era hora de crescer. Era hora de mudar. Era hora de dizer oi para novas possibilidades, ver videogames de uma forma mais extensa, mas com a mesma responsabilidade com que nós sempre vimos.

Sony você continua fora!

A todos os outros, sejam bem vindos!

Enviado em Alfinetadas | 1 Comment »

A propaganda mais linda já feita na terra! Ocarina of time está definitivamente de volta!

Publicado por Marcel Bonatelli em junho 15, 2011

Robin Williams é um dos meus atores favoritos. Tenho 4 filmes dele no meu Top Ten de todos os tempos e gosto de pensar que ele é uma das pessoas mais ternas e engraçadas que eu já vi. Ele também é um grande fã de Zelda, tendo batizado sua filha, nascida em 1989 (pouco mais de três anos depois do primeiro Zelda) de “Zelda Ray Williams”… eu não estou brincando!!!

E ele foi a celebridade que a Nintendo chamou para o novo comercial do remake de A Lenda de Zelda: A Flauta do tempo (The Legend of Zelda: Ocarina of Time  ou ゼルダの伝説: 時のオカリナ Zeruda no Densetsu: Toki no Okarina)… e o resultado final foi um dos comerciais mais lindos já feitos na terra.

Aqui está a tradução:

“The first time I see you I knew We would be linked forever.”

A primeira vez que eu vi você eu sabia que nós nos estariámos ligados para sempre”mas também é uma brincadeira com Linked (ligados) e o nome do personagem principal da série, Link.

“For you I travelled to the four corners of the world.”

“Por você eu viajei pelos quatro cantos do mundo.”

“I faced adversity!”

“Eu passei por muitos problemas/muitas adversidades!”

“I became my hero!”

“Eu me tornei meu heroí!”

Zelda falando “Daddy?”

Zelda falando “Pai?”

“I saved your kingdom!”

“Eu salvei seu reino!”

Zelda falando “Daddy?”

Zelda falando “Pai?”

“Yeah Zelda?!”

“Sim Zelda?!”

Zelda falando “Are you mixing me up with the princess again?”

Zelda falando “`Cê tá me confundindo com a princesa de novo?”

Após um meneio de  cabeça

“Hard to Say. You´re both pretty magical.”

“Difícil dizer. Vocês duas são tão mágicas.”

Ambos sorriem e surge a frase “Zelda fans since 1987″“Fãs de Zelda desde 1987″

Eu sou meio fácil de emocionar… eu chorei na abertura de Wind Waker e chorei na despedida do final de Twilight Princess… então esse comercial me tocou muito fundo. Dêem uma olhada.

Enviado em História, Nintendo 3DS | Leave a Comment »

Seu 3DS está ficando sem bateria … … … “seus plobrema se acabaram-se”!

Publicado por Marcel Bonatelli em junho 15, 2011

Sim… a bateria do 3DS é ridiculamente curta. Mas parece que a rainha dos acessórios, a Nyko, tem uma saída…

… ou melhor… três!!!

Se você for o tipo discreto, pode ficar com o Nyko Game Boost, que “clica” na entrada de recarga do seu 3DS e entrega entre  uma a duas horas a mais de uso.

Se você realmente não se importar com um portátil um pouco maior, você pode pegar o Nyko Power Grip, que triplica a duração da bateria enquanto entrega um formato ergônomico com apenas um pequena aumento no tamanho e no peso.

Por fim, se você é hardcore, gosta de som e quer que todo mundo veja o seu 3DS, você pode ficar com o Nyko Shock n’ Rock que não só triplica a vida útil da sua bateria mas também vem com 4 mini autofalantes bem fortes e adiciona muito a vibração do aparelho.

Todos os três produtos chegarão ao mercado no segundo semestre. Fiquem de olho porque vale bem a pena!

Enviado em Nintendo 3DS | Leave a Comment »

Seu rádio relógio copulou com seu… 3DS?!

Publicado por Marcel Bonatelli em junho 15, 2011

Nada diz que o dia será bom para um gamer do que acordar sabendo que a (curta) bateria do seu 3DS vai estar completamente recarregada para atravessar o dia com você. Agora você vai realmente dormir em paz, porque o PlayClock da Nyko vai recarregar seu 3DS e ainda te acordar pela manhã.

O aparelho é um rádio-relógio com sistema de autofalantes, uma estação de recarga que permite acessar o contéudo musical e visual do  Nintendo 3DS, tudo isso enquanto recarrega o seu portátil. E se os seus MP3 ou AAC estiverem em um outro aparelho e não no seu 3DS, o PlayClock ainda tem uma entrada para MP3 players e um port de entrada para smartphone.

Tudo isso é ainda é lindo. O meu vai ser comprado mês que vem… assim que o produto estiver disponível no ThinkGeek.com

Enviado em Nintendo 3DS | Leave a Comment »

Wii U não vai rodar DVD, nem Blu Ray e é mais poderoso que o PS3!

Publicado por Marcel Bonatelli em junho 15, 2011

Satoru Iwata, presidente da Nintendo confirmou após a encerramento da E3 “O Wii não terá capacidade para rodar filmes em Blu Ray ou DVD”. A notícia não é surpresa nenhuma considerando o histórico da Nintendo com a mídia óptica e o fato de que dar compatibilidade de player a um videogame aumento o preço final do aparelho. Além disso, segundo Iwata “As pessoas tem players, com capacidade para DVD e Blu-Ray em número suficiente.  Não seria um fator de venda válido e encareceria o aparelho.”.

E embora o fato citado não seja surpresa,  muitas pessoas ficaram surpresas com informações como as dadas pelo analista Arvind Bhatia, do site Industry Gamers que afirmou “Os desenvolvedores tem falado muito bem dos kits de desenvolvimento do Wii U. Eles afirmam que o aparelho é pelo menos 50% mais poderoso que o PS3 ou o XBOX 360”; ou de John Carmack, um dos criadores de Doom e chefe de tecnologia e desenvolvimento da ID software, que confirmou seu novo jogo “RAGE”,  que leva a capacidade gráfica dos consoles atuais muito além dos padrões correntes “Finalmente a Nintendo trouxe tecnologia para equalizar a guerra entre consoles”.

Até o momento a Nintendo não confirma com exatidão os dados de processamento do Wii, então o jeito é esperar para ver!

 

Enviado em Wii U | 1 Comment »

Wii U ganha sites, fotos oficiais, confirmação de alguns games e de que pode usar mais de um controle tablet por vez!

Publicado por Marcel Bonatelli em junho 15, 2011

A Nintendo foi devagar até a demonstração, um pouco bagunçada (diga-se de passagem), do console. Mas após a E3 o pesssoal em Kyoto tem trabalhado como loucos. Os sites wiiuzapper.com, wiiuwheel.com, wiiuremote.com, WiiMusicU.com, WiiPartyU.com e… rufem os tambores… “newsupermariobrosmii.com” (é… acho que não era uma techdemo de chão de E3 como eles estavam dizendo… ou talvez filas de quatro horas de duração tenham mostrado a Nintendo que há um filão de ouro ali). Logo depois da confirmação dos sites por parte da Nintendo, o website Inside Games conseguiu fotos do evento pré-E3 para acionistas onde o aparelho foi manuseado e mostrado em detalhes, especialmente as saídas,entradas e um pouco mais do controle.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Se isso não fosse suficiente para fechar a semana da E3, o analista de mercado da Wedbush Morgan, Michael Pachter abriu o bocão e disse que recebeu confirmação do Big Boss da Nintendo americana, o mega, o super, o foda Reggie Fils-Aime, que o Wii U pode suportar mais de um controle tablet.  Aparentemente, quando Shigeru Miyamoto, o papai de Mario e Zelda, disse no evento que o sistema suportaria apenas um controle, na verdade ele quis dizer que o sistema virá com apenas um controle e que há pouca, ou nenhuma necessidade de um segundo controle do tipo.  “Considerando que o Wii U funciona com todo o hardware do Wii, inclusive o classic controller e o classic controller pro (que tem Rumble) não haverá muita necessidade por um segundo controle no modelo com a tela. É  mais provável que os desenvolvedores cortem gastos na criação de games multiplataforma (Wii U, PS3 – ou 4 – e XBOX 360) não utilizando ou utilizando muito pouco o controle tablet e preferindo o classic controller pro” disse o analista.

Como a Nintendo já afirmou que seu Mii vai funcionar como um Gametag, com acesso a seus saves (conquistas Nintendo… nós realmente queremos conquistas) e que poderá, assim como no Wii, ser gravado no controle, é perfeitamente possível que você queira levar o seu “tablet” para a casa de um amigo, mas ainda segundo o analista “A Nintendo acredita que há saídas mais fáceis do que carregar seu controle tablet para a casa de um amigo. Mas ela confirma que o aparelho aceitará dois controles tablets sendo usados.”.

Lembrem-se, isso confirma o uso de dois controles tablets, mas não confirma que existirão jogos que utilizarão de dois controles tablets ou que o Wii U será capaz de fazer streaming de vídeo em tempo real para dois controles.

Por hora, estamos aguardando!

Enviado em Wii U | Leave a Comment »

 
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.