Minicastle – Um lugar para gamers

Aproveitando que a princesa está sempre em outro castelo!

Jogando: Splinter Cell 3D

Publicado por Marcel Bonatelli em abril 16, 2011

Splinter Cell: Chaos Theory, no PC e no XBOX, era a Ferrari dos jogos de stealth: o mais verdadeiro, o mais gutural e o mais conhecido. Infelizmente sua versão para o 3DS está mais para um Lotus: É estranho, chama a atenção mais para os pontos positivos mas mantém seu charme. E ainda é um ótimo jogo… só que pode decepcionar quem esperava uma versão 1:1.

 

Graficamente o jogo é muito bem feito. O efeito 3D é útil e sutil, não se tornando intrusivo e não gerando aquela sensação de que você vai perder o equilíbrio a qualquer minuto; os objetos ficam mais fáceis de serem contornados, é mais fácil perceber a distância dos inimigos e arremessar objetos como uma pedra ou uma granada se tornam mais simples. A animação de Fisher é excelente e feita toda a mão, o que cria um efeito artístico bem convincente, enquanto que a animação dos inimigos é cortada e inconsistente, com uma física de desenho do pica-pau (explosões resultam em corpos ricocheteando contra a parede enquanto um tiro a curta distância de calibre 12 nem mesmo projetará os corpos, fazendo com que eles caiam como mamulengos junto a você). Os cenários são bem feitos, mas nada que você tenha que escrever para a mãe sobre e receberam uma demanda de detalhe, que se tornou ainda mais legal com o novo sistema de direcionamento de missões, chupado de Splinter Cell Conviction, que escreve nas paredes e portas os novos objetivos. O primeiro grande problema do game reside no departamento gráfico e é fatal para um game Stealth – luz e sombra.

Em Pandora Tomorrow e Chaos Theory, do XBOX e do GameCube, você conseguia saber se estava completamente escondido apenas olhando para Sam. Com exceção do ponto luminoso e os óculos, pontos criados exatamente para você conseguir saber onde e em que posição Sam estava, quando você estava na escuridão você desaparecia, oculto pelas sombras. No 3DS, assim como no primeiro game da franquia é impossível saber se seu avatar está oculto só pelos gráficos, pois o jogo de luz e sombra, pouco ou nada afeta as texturas de Fisher e dos inimigos – forçando você a se guiar pelos medidores espalhados pela tela. Quando se explode uma lâmpada a sala mergulha na escuridão, mas tanto os inimigos como Fisher continuam perfeitamente visíveis. O que me leva à segunda falha fatal do game, a Inteligência Artificial.

Esses terroristas devem ter avançado retardo mental – eles dispensam a busca por você depois de alguns minutos, levam preciosos segundos para disparar um alarme após o verem, travam em pedaços do cenário, não conseguem vê-lo se você está encostado neles (desde de que você esteja na escuridão), entre outros fatores. Fisher passa por eles como se não houvesse amanhã e a única coisa que o game faz com os inimigos em níveis de dificuldade mais altos é aumentar o número de alvos e melhorar o armamento.

 

O som do game é bem feito, não genial, mas cumpre bem o seu papel, com vozes bem feitas e um ótimo score para os momentos mais tensos. O controle é o ponto alto do game e considerando que a última vez que jogamos este game tínhamos um controle com dois direcionais e uns 8 botões a disposição: suas armas são trocadas (e a munição dentro delas também) com a tela sensível ao toque enquanto o analógico é utilizado para controlar Fisher e os botões frontais usados para controlar a câmera – R atira, L mira. Simples e magnifico.

 No final, Splinter Cell 3D: Chaos Theory é um bom jogo, que acertou em dezenas de pontos mas deixou para trás dois fundamentais para o gênero: IA e Iluminação. É como o mais delicioso dos bolos, mas que foi deixado para fora da geladeira e ficou duro – ainda é o mais delicioso dos bolos e você ainda vai comê-lo, mas não está perfeito. A versão do GameCube é certamente melhor, mas eu não posso jogar GameCube no busão.

About these ads

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: